Informação independente faz a diferença

É hora de comprar celulose na Bolsa, avalia Credit Suisse

Suzano
Os preços da celulose tendem a subir ainda mais no quarto trimestre de 2017, diz o Credit

O Credit Suisse anunciou uma revisão para cima dos preços-alvos das ações da Fibria (FIBR3) e Suzano (SUZB5), mostra um relatório enviado a clientes na noite desta quarta-feira (27). A recomendação outperform, equivalente à compra, foi mantida para a Fibria – a preferida – e Suzano. Klabin (KLBN11) continua com a indicação neutral e o mesmo valor estimado para suas units.

Gostou desta notícia? Receba nosso conteúdo gratuito

Os analistas Ivano Westin, Renan Criscio e Rafael Cunha avaliam que os preços da celulose tendem a subir ainda mais no quarto trimestre de 2017 e a continuar em um nível acima do esperado no próximo ano.

“Agora esperamos que os preços baixem menos do que o esperado de uma base mais alta, resultando em um desalavancagem mais rápida e avaliação atrativa para todos os nomes do setor”, pontuam.

Para a Fibria, o preço-alvo foi reajustado de R$ 40 para R$ 52. Os ativos da Suzano foram elevados de R$ 18 para R$ 22.

“As sinergias de uma possível fusão no setor e o potencial de alta com a desvalorização do real são opcionalidades não incluídas em nosso cenário-base”, explicam Westin, Criscio e Cunha.

Já a Klabin teve o preço-alvo mantido em R$ 19.


 

Últimas Notícias