Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

5 formas de calcular valuation de uma empresa

27/12/2020 - 19:10
Mercados Ações Investimentos Bolsa de Valores
Quando o assunto é empresa é essencial fazer um valuation para alocar seu patrimônio na empresa que vai trazer maior rentabilidade ao longo do tempo (Imagem: Reuters/Shailesh Andrade)

Nem começamos a investir e já estamos pensando no retorno, para que nosso dinheiro trabalhe é preciso que ele esteja bem aplicado.

Quando o assunto é empresa é essencial fazer um valuation para alocar seu patrimônio na empresa que vai trazer maior rentabilidade ao longo do tempo. Escolher essas empresas pode ser difícil caso você não analise seus dados e mercado de forma correta.

Existem várias formas de fazer valuation e definir o preço justo para os ativos. O Yubb separou 5 dessas formas para te dar um norte nas suas análises e te ajudar como sempre a escolher o melhor investimento para você!

O que é valuation? Para alinhar os conhecimentos

Para deixar todos leitores alinhados antes de passar para as 5 formas de fazer valuation vamos defini-lo como o processo de atribuição de valor real para uma empresa com a  definição de um preço justo para suas ações.

As formas ou metodologias de valuation variam conforme objetivo e variáveis utilizadas, lembrando sempre que essa estratégia é subjetiva.

5 Formas de calcular o valuation de uma empresa

Existe diversas formas de calcular o valuation de uma empresa, vamos citar 5 que consideramos muito importantes que você conheça. Dessa forma será possível que você escolha a que acha mais interessante e se aprofunde. Só assim será possível uma tomada de decisão inteligente para os seus investimentos.

Você não necessariamente tem que escolher uma das formas a seguir, pode combiná-las para buscar uma análise mais precisa. Ainda, alguma dentre elas pode ser melhor para aquele momento, então vamos lá!

1. FDC – Fluxo de Caixa Descontado

O FDC ou Fluxo de Caixa Descontado é uma metodologia de valuation que objetiva o cálculo do valor intrínseco da empresa. Para isso fazemos a projeção de lucro da empresa sendo descontada por uma taxa de desconto que reflete o risco do investimento.

Sendo assim, a projeção já corrige possíveis lucros para o prazo analisado. Essa metodologia é boa pois permite uma análise do caixa no médio prazo a partir da perspectiva de cenários diferentes.

O FDC – Fluxo de Caixa Descontado é tido por muitos como a metodologia mais precisa porém requer mais estudo e tempo empregado na sua elaboração.

2. Múltiplos de Mercado

A técnica de valuation por múltiplos de mercado tem por objeto a comparação de indicadores fundamentalistas de mercado. Essa técnica tende a ser mais acessível poi o investidor já lida com esses indicadores na análise fundamentalista tais como EBITDA, Preço/Valor Patrimonial e Preço/Patrimônio Líquido.

Essa análise apesar de mais tranquila, requer atenção pois nem sempre o múltiplo escolhido pode representar a totalidade da empresa, deixando fora da análise eventos ou indicadores que podem influenciar o valuation com o passar do tempo.

No valuation contábil o foco da análise está no patrimônio líquido da empresa a partir da sua contabilidade (Imagem: Pixabay)

Um exemplo bastante comum desse valuation é a partir do preço de mercado sobre valor patrimonial. Utilizado em larga escala como forma de saber se a empresa está “barata”, quando o resultado for superior a um, existe expectativa de crescimento da empresa por parte do mercado.

Ao analisar essa informação com outros indicadores disponíveis o investidor pode definir se a empresa está dentro ou fora do preço justo.

3. Valuation Contábil

No valuation contábil o foco da análise está no patrimônio líquido da empresa a partir da sua contabilidade.

Essa metodologia apesar de muito conhecida tende a não possibilitar a análise de forma correta pois deixa muitos fatores que não constam na contabilidade da empresa de fora do estudo. Isso tende a imprecisões que podem ser cruciais na definição do valuation.

4. Modelo de Gordon

O modelo de Gordon é uma técnica de valuation com foco na distribuição de dividendos. Para isso é realizada uma projeção da distribuição dos futuros dividendos.

A estimativa leva em conta um crescimento constante dos dividendos, onde esse fluxo é aplicado ao valor presente como forma de definir o preço justo.

Todavia, esse modelo não é muito utilizado pois poucas empresas conseguem manter constante o crescimento e pagamento de dividendos.

Dessa forma o modelo possui limitações as quais o investidor deve se manter atento se optar por utilizá-lo.

5. Valuation pré-investimento

Essa forma de valuation é bastante simples e utilizada apenas – como o nome já diz – para saber o valor da empresa antes de um aporte de investimentos. Basta subtrair o valor adquirido do valor anterior ao investimento. Essa informação é importante apesar de sua simplicidade por permitir separar o preço justo de antes do investimento.

Independente de qual seja a abordagem escolhida o valuation é muito importante para subsidiar a decisão do investidor e lhe dar segurança nos seus investimentos.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 24/12/2020 - 21:16

Cotações Crypto
Pela Web