Impostos

75% a mais na gasolina e 21% no etanol; veja como deve ser a reoneração dos combustíveis

28 fev 2023, 14:26 - atualizado em 28 fev 2023, 14:26
Combustiveis
No começo do ano, Lula assinou uma Medida Provisória que mantinha a desoneração dos combustíveis promovida no governo Bolsonaro. (Imagem: REUTERS/Ricardo Moraes)

O ministro Fernando Haddad tem uma coletiva de imprensa marcada para 19h desta terça-feira (28) para anunciar a reoneração dos impostos federais para gasolina e etanol.

Segundo Valdo Cruz, comentarista da GloboNews, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, decidiu junto com a equipe econômica e do Ministério de Minas e Energia, voltar com a cobrança de 75% de tributos sobre a gasolina e de 21% sobre etanol a partir de amanhã.

O mercado vinha se questionando a forma como seria feita a retomada dos impostos do PIS, Cofins e Cide. Entre as opções, estavam a recomposição integral, uma retomada diferenciada entre gasolina e etanol para beneficiar o biocombustível e uma volta gradual.

  • Entre para o Telegram do Money Times!
    Acesse as notícias que enriquecem seu dia em tempo real, do mercado econômico e de investimentos aos temas relevantes do Brasil e do mundo. Clique aqui e faça parte!

O governo parece ter optado pela segunda opção. Além disso, Lula usou a Petrobras (PETR3PETR4) como um coringa para minimizar o impacto dos impostos no bolso do consumidor.

Mais cedo, a estatal anunciou a redução do preço médio de venda de gasolina e do diesel para as distribuidoras. A partir de amanhã, o litro da gasolina passa de R$ 3,31 para R$ 3,18. Para o diesel, o litro passa de R$ 4,10 para R$ 4,02.

Desoneração dos combustíveis

No começo do ano, Lula assinou uma Medida Provisória que mantinha a desoneração dos combustíveis promovida pelo governo de Jair Bolsonaro.

A redução dos impostos estava prevista para acabar no dia 1º de janeiro, mas Lula manteve a isenção até o fim de fevereiro para a gasolina e o álcool, e até o final do ano para o diesel, biodiesel, gás natural e de cozinha.

A equipe do Ministério da Fazenda calcula que a reoneração vai garantir R$ 28,9 bilhões aos cofres públicos em 2023.

Editora-chefe
Formada em Jornalismo pela PUC-SP, tem especialização em Jornalismo Internacional. Atua como editora-chefe no Money Times e já trabalhou nas redações do InfoMoney, Você S/A, Você RH, Olhar Digital e Editora Trip.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela PUC-SP, tem especialização em Jornalismo Internacional. Atua como editora-chefe no Money Times e já trabalhou nas redações do InfoMoney, Você S/A, Você RH, Olhar Digital e Editora Trip.
Linkedin