Comprar ou vender?

A construtora que pode abrir caminho para dividendos em 2024

10 jul 2024, 12:10 - atualizado em 10 jul 2024, 12:10
dividendos - reais ibovespa
Empresa pode ter rendimento de dividendos superior a 10%, segundo o Bradesco BBI. (Imagem: Getty Images)

A Moura Dubeux (MDNE3) pode reverter prejuízos acumulados já no segundo trimestre deste ano (-R$ 36 milhões no 1T24) e abrir caminho para pagamento de dividendos em 2024, disse o Bradesco BBI nesta quarta-feira (10).

A avaliação é feita depois de a construtora ter apresentado uma prévia operacional avaliada como sólida pelos analistas. “Os números gerais indicam operações saudáveis, com o VSO em 47% em 12 meses apontando para uma forte demanda”, afirmou o banco, segundo relatório disponibilizado pela Ágora Investimentos.

Para os analistas da instituição, mais terrenos adicionados indicam que a empresa pode continuar a crescer na região Nordeste, seja em novas cidades ou através de diferentes produtos (por exemplo, Mood).

Por volta de 12h desta quinta, as ações da Moura Dubeux subiam 4,7%, a R$ 13,58, acumulando uma alta de 34% em 12 meses.



Sólida ‘história de dividendos’

Para o Bradesco BBI, a Moura Dubeux poderia se tornar uma sólida história de rendimento até 2025, com um rendimento de dividendos superior a 10%, mesmo assumindo um payout conservador de 45%.

“Em suma, mantemos a MDNE3 como uma de nossas escolhas favoritas no setor de construção residencial, combinando uma sólida dinâmica operacional e de lucros, em um mercado com menos concorrência e com uma valuation atraente (negociada a 4,0x o múltiplo P/L estimado para 2025)”.

De acordo com a prévia divulgada na terça, a Moura Dubeux lançou quatro projetos no segundo trimestre, totalizando um valor geral de vendas (VGV) líquido de R$ 637,3 milhões, em uma alta de 7,3% na base anual.

Com isso, o valor geral de vendas líquido na primeira metade do ano bateu R$ 984 milhões líquidos, avanço de 16,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

O volume das vendas e adesões líquidas no segundo trimestre deste ano, segundo a empresa, foi recorde em R$ 492 milhões, aumento de 40,3% em relação ao mesmo período de 2023. No semestre, a linha totalizou R$ 864 milhões, alta de 27,6%.

A Moura Dubeux informou também que nos últimos 12 meses o Índice VSO Líquido foi de 46,5%, aumento de 2,8pp quando comparado ao 2T23. Já o VSO Líquido no trimestre foi de 19,7%, aumento de 3,5pp na base anual.

No segundo trimestre de 2024, a companhia adquiriu sete terrenos, e encerrou o período com 57 terrenos, totalizando um VGV Bruto potencial de aproximadamente R$ 9,3 bilhões, segundo a prévia.

A Moura Dubeux comunicou a entrega de quatro projetos sob o regime de incorporação, totalizando um VGV Bruto de R$ 282 milhões e um VGV Líquido de R$ 250 milhões.

A empresa apresentou geração de caixa de R$ 18,7 milhões no segundo trimestre e de R$ 161,1 milhões em 12 meses.

Editor
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com MBA em finanças pela Estácio. Colaborou com revista Veja, Estadão, entre outros.
Linkedin
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com MBA em finanças pela Estácio. Colaborou com revista Veja, Estadão, entre outros.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.