Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

México diz que Braskem lesou o país em US$ 683 milhões

23/08/2020 - 13:57
Braskem
O contrato entre a Petróleos Mexicanos (Pemex) e o consórcio formado pela Braskem, controlada pela Odebrecht, e o Grupo Idesa de México (Imagem: Instagram/Braskem)

O presidente do México disse que um acordo “leonino” de fornecimento de etano que ele pressionou para cancelar entre um consórcio apoiado pela brasileira Odebrecht e a petroleira mexicana Pemex teria custado aos contribuintes cerca de 15 bilhões de pesos (683 milhões de dólares).

O contrato entre a Petróleos Mexicanos (Pemex) e o consórcio formado pela  Braskem (BRKM5), controlada pela Odebrecht, e o Grupo Idesa de México, foi assinado há uma década, na gestão do ex-presidente Felipe Calderón (2006-2012).

Em uma transmissão no YouTube no sábado, o presidente Andrés Manuel López Obrador disse que sua estimativa foi baseada no que ele descreveu como prováveis ​​subsídios injustos e multas pagas pelo não cumprimento dos termos do acordo que ele descreveu como “leonino”.

Veja o Vídeo:

“Estamos falando de uma perda para a nação de cerca de 15 bilhões de pesos”, disse o presidente, que recentemente indicou que o contrato deveria ser cancelado.

No entanto, ele estimou que o país economizou cerca de 2,1 bilhões de pesos em penalidades que, segundo seus cálculos, seu governo deixou de pagar após a posse no final de 2018. “Não podemos continuar com isso”, disse o presidente.

A Braskem Idesa não respondeu imediatamente a um pedido por comentários. No início desta semana, o consórcio rejeitou qualquer irregularidade e disse que ganhou o contrato de fornecimento de forma justa.

De acordo com os termos do contrato, a Pemex teve que entregar etano abaixo dos preços atuais de mercado.

A Braskem Idesa disse que a fórmula de precificação não era baseada em preferência ou vantagem e era típica de contratos de longo prazo de commodities, sendo consistente com os preços cobrados pela Pemex nos 16 anos anteriores.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Gustavo Kahil - 23/08/2020 - 14:53