Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

AES Tietê busca eólicas no Nordeste e quer desenvolver projetos solares, diz CEO

06/11/2019 - 16:32
A movimentação da empresa vem após fracasso no mês passado de negociações junto à Renova Energia (RNEW11) para a compra do projeto eólico Alto Sertão III (Imagem: REUTERS/Andres Stapff)

A AES Tietê (TIET11), da norte-americana AES, pretende avaliar oportunidades de aquisição de parques eólicos no Nordeste, ao mesmo tempo em que focará o desenvolvimento de novos projetos solares para venda da produção no mercado livre de eletricidade, disse nesta quarta-feira o presidente da companhia, Ítalo Freitas.

A movimentação da empresa vem após fracasso no mês passado de negociações junto à Renova Energia (RNEW11) para a compra do projeto eólico Alto Sertão III, na Bahia, um negócio que envolveria até 350 milhões de reais e mais a assunção de 988 milhões de reais em dívidas do empreendimento.

“Buscamos parques eólicos no Nordeste”, disse Freitas, durante teleconferência com analistas e investidores para comentar os resultados do terceiro trimestre.

Ele destacou que o interesse é por ativos que já possuam contratos de longo prazo.

De outro lado, em novos projetos (“greenfield”), a AES Tietê deverá focar o desenvolvimento na área solar, com foco na comercialização da energia com clientes no mercado livre, onde grandes consumidores podem negociar contratos de suprimento diretamente com geradores e comercializadoras.

Energia Solar Setor Elétrico
A AES Tietê deverá focar o desenvolvimento na área solar, com foco na comercialização da energia com clientes no mercado livre (Imagem: Reuters/Amit Dave)

“A comercialização no ambiente livre traz retornos mais atrativos que no regulado”, afirmou Freitas.

No mercado regulado, os consumidores são atendidos pelas distribuidoras de energia, que atendem à demanda com contratos fechados em leilões realizados pelo governo.

Esses certames, no entanto, têm registrado preços mais baixos nos últimos anos, em meio a uma demanda mais fraca e ao forte interesse de investidores por energia eólica e solar no Brasil que forçam deságios nas licitações.

Freitas também reiterou que a AES Tietê ainda buscará viabilizar a construção de cerca de 600 megawatts em projetos eólicos “greenfield” na Bahia, após a companhia ter anunciado em agosto que fechou uma opção de compra desses empreendimentos.

A AES Tietê registrou lucro líquido de 97,1 milhões de reais no terceiro trimestre, avanço de 174,6% na comparação anual. O resultado foi influenciado pelo início em agosto das operações da primeira fase do complexo solar Ouroeste, com 69 megawatts em capacidade.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 06/11/2019 - 16:32