Analisando a tendência de listagens de tokens DeFi em corretoras cripto

04/09/2020 - 16:09
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Novos ativos abrem as portas para novas comunidades cripto que, em outro caso, não teriam seu lugar ao sol (Imagem: Freepik/macrovector)

Conforme mercados aceleram cada vez mais, a listagem em corretoras cripto parece ter se tornado uma catálise para movimentações de preço. É como se estivéssemos novamente em 2017.

A tendência é imediatamente aparente quando analisamos as adições mais recentes da Coinbase.

Quase toda nova listagem parece ter tido um impulsionamento significativo no preço no dia em que a Coinbase anuncia que abrirá suas portas digitais e ligar as torneiras da doce liquidez.

NMR triplicou e COMP duplicou no dia dos anúncios. Até o aumento intradiário de 21% do ALGO foi algo a se observar.

(Imagem: Messari)

A única exceção foi a mais recente adesão da Coinbase, UMA, que caiu junto com o restante do mercado nos últimos dias. Observadores também devem notar que UMA subiu 230% na semana de seu lançamento, o que pode ter sido resultado de seu envolvimento coincidente com o SushiSwap.

O grande beneficiário

Projetos de tokens não são os únicos se beneficiando com essas listagens. As corretoras estão vendo um impulsionamento no volume de negociação (onde ganham dinheiro) e contas de usuários.

Novos ativos abrem as portas para novas comunidades cripto que, em outro caso, não teriam seu lugar ao sol.

Corretoras também podem impulsionar seus próprios portfólios e fornecer a si mesmos meio à liquidez caso tenham um braço de capital de risco com foco em cripto. Quatro das últimas seis listagens na Coinbase apareceram no portfólio da Coinbase Ventures.

A Coinbase não é a única corretora que capitalizou nesse mercado impulsionado pelas finanças descentralizadas (DeFi).

Outras grandes corretoras americanas, Kraken e Binance.US, pegaram sua parte de novas listagens, acrescentando seis e doze novos ativos desde junho, respectivamente.

Até Gemini, a mais conservadora do grupo, aumentou suas ofertas em 75% este ano. Todas estão no ritmo de melhorar suas listagens em comparação a 2019.

Criptoativos acrescentados por grandes corretoras americanas – continuam com suas listagens conforme o mercado continua a acelerar (Imagem: Messari, Coinbase, Gemini, Kraken, Binance.US)

Essa tendência provavelmente irá continuar, principalmente se o mercado não desacelerar em breve, e ativos na lista de espera podem apresentar uma oportunidade atrativa de investimento.

Embora investidores possam não saber qual ativo uma corretora irá listar em seguida (ignorando a negociação interna), existem alguns sinais em meio ao ruído.

Felizmente, Mason Nystrom, analista da Messari, já analisou como navegar pelas águas turvas de conteúdos cripto para encontrar possíveis oportunidades. Ele também compôs os portfólios líquidos para essas corretoras (quando aplicáveis) e suas considerações de listagem:

– portfólio da Coinbase Ventures;

considerações de listagem da Coinbase;

ativos com suporte da Coinbase Custody;

portfólio do Binance Labs;

ativos com suporte da Gemini Custody.

É preciso monitorar os ativos em portfólios de corretoras que ainda não estão sendo negociados sob a hipótese de que corretoras irão fornecer suporte a eles logo após seu lançamento. Demorou apenas alguns meses para a Coinbase listar COMP e CELO após esses tokens terem se tornado transferíveis.

Os ativos ilíquidos da Coinbase Ventures que estão se aproximando do lançamento de sua rede principal ou de token incluem Near Protocol (rede principal), Coda (lançamento da rede principal no fim de 2020), The Graph, BloXroute e Spacemesh (lançamento da rede principal previsto para 2021).

Déjà vu?

De certa forma, o “fenômeno de bombeamento das corretoras” parece o de 2017. Assim como na última “bull run”, corretoras internacionais foram um soco no estômago das corretoras americanas com a grande listagem de tokens DeFi.

Exceto pelas ramificações jurídicas, corretoras americanas estão perdendo uma possível oportunidade ao não fornecerem suporte para tokens como YFI que possuem uma comunidade muito dedicada.

Gerar liquidez inicial é essencial, pois pode determinar se uma corretora é o destino preferido para investidores. Listagens tem o potencial de trazer essa liquidez. Mas esperar demais para agir pode prejudicar a futura participação de mercado.

No caso do YFI, Binance está classificada em primeiro lugar e, agora, possui quase 15% do fornecimento total de YFI. Já que quase 70% do fornecimento de YFI está em staking, a quantia limitada restante pode tornar difícil destronar a Binance.

Principais corretoras com saldos em YFI (Imagem: Nansen)

Apesar das leves similaridades com 2017, desta vez, é definitivamente diferente. Corretoras cripto não estão mais competindo entre si.

O surgimento da Uniswap e de protocolos parecidos tornaram corretoras descentralizadas (DEXs) uma ameaça à dominância das corretoras centralizadas (CEXs).

Anteriormente, CEXs eram o destino principal para usuários cripto. Agora, estão cada vez mais se tornando uma plataforma “on-ramp” (que realiza o câmbio entre moedas nacionais e criptoativos) para aplicações DeFi.

Portas de acesso mais eficientes a cripto poderão abalar sua dominância já abalada.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 04/09/2020 - 16:09

Cotações Crypto
Pela Web