Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Após Datafolha, Forjas Taurus tem nova disparada de 20%; alta na semana é de 80%

20/09/2018 - 15:22

Taurus

Por Investing.com – Com a divulgação de mais uma pesquisa, desta vez do Datafolha, consolidando a liderança de Jair Bolsonaro (PSL) na liderança da corrida eleitoral, as ações da Forjas Taurus (FJTA3) voltam a apresentar forte valorização de 20,57% a R$ 5,04.

Ontem, os ativos se valorizaram 22,58%, acumulando na semana alta de 80% e de 121,68% desde 16 de agosto, primeiro dia que os candidatos foram autorizados a fazer campanha na rua.

Bolsonaro tem entre suas bandeiras melhora da segurança pública e defende a liberalização nas regras para concessão do porte de armas. O texto do plano de governo de Bolsonaro defende a reformulação do estatuto do desarmamento para garantir o direito do cidadão à “legítima defesa”.

O candidato quer também, entre outros pontos, investir fortemente nas polícias, acabar com a progressão de penas e as saídas temporárias e reduzir a maioridade penal para 16 anos.

Em relatório nesta semana, a corretora Spinelli citava as preferenciais da Forjas Taurus entres as ações que podem se beneficiar com uma vitória do candidato do PSL.

O analista-chefe da Spinelli, Glauco Legat, disse que a avaliação considera principalmente a questão da melhora da segurança pública defendida por Bolsonaro, que pode resultar, no caso de ele se eleger, em aumento do orçamento para segurança e defesa, refletido em troca para a modernização de armamentos e equipamentos, bem como aumento do contingente de policiais, logo, mais armas.

“Isso é o mais plausível de acontecer…e a cereja do bolo seria a mudança na legislação sobre o porte de armas…seria um incentivo adicional”, afirmou, ponderando, contudo, que os fundamentos da empresa, em si, não justificam uma recomendação tão positiva.

A Forjas Taurus encerrou o primeiro semestre do ano com prejuízo líquido de 92,6 milhões de reais, forte crescimento ante a perda de 29,5 milhões de reais pró-forma um ano antes. A geração de caixa medida pelo Ebitda ficou em 73,1 milhões de reais, melhor primeiro semestre desde 2009, após resultado negativo de 200 mil reais no primeiro semestre de 2017.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Diana Cheng - 20/09/2018 - 15:22