Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Após registrar lucro 11% maior, ações do Carrefour têm leve valorização

25/07/2019 - 11:23
Carrefour teve lucro líquido ajustado no segundo trimestre (Imagem: Marlene Awaad/ Bloomberg)

Por Investing.com

O Carrefour (CRFB3) Brasil teve lucro líquido ajustado de R$ 419 milhões no segundo trimestre, aumento de 11% sobre o mesmo período do ano passado, apoiado em crescimento de dois dígitos nas vendas puxado principalmente pela unidade de atacarejo atacadão. Desta forma, os papéis da companhia operam com ganhos de 0,21% a R$ 23,55.

O lucro líquido ajustado atribuível aos acionistas controladores, segundo o padrão contábil IFRS 16, cresceu 7,9%, para R$ 408 milhõe, enquanto a margem líquida caiu para 2,9% ante 3,1% um ano antes, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira.

As vendas brutas totais subiram 12,9% por cento no período, para R$ 15,28 bilhões. Excluindo combustíveis, o Carrefour Brasil teve alta de 13,5% nas vendas brutas, para R$ 14,588 bilhões. Desse total, 71% foram gerados pelo Atacadão.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 12,7% por cento no segundo trimestre, para R$ 1,053 bilhão. Com base no IFRS 16, o Ebitda ajustado foi de R$ 1,117 bilhão. Analistas, em média, esperavam Ebitda de R$ 1,031 bilhão no segundo trimestre, segundo dados da Refinitiv.

Além do resultado a companhia anunciou a distribuição de JCP no valor de R$ 0,2014 por ação. A data ex-JCP será no dia 22 de agosto, com o pagamento agendado para o dia 27 de setembro. O yield da operação é de 0,86%.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

A equipe do BTG Pactual (BPAC11) considera que os números foram sólidos e espera que o momento positivo persista para as ações da companhia. Apesar disso, a avaliação é que os papéis estão negociados a 19x P/E 2020, um aumento de 30% no acumulado do ano, o que limita o upside.

Para os analistas, é um ativo mais conservador e a classificação Neutra, o que reflete a exposição da empresa a hipermercados e a concorrência de players regionais, o que deve limitar a expansão nos próximos anos.

Leia mais sobre: Ações, Alimentos, Carrefour, Mercados, Varejo

Última atualização por Rafael Borges - 25/07/2019 - 11:24