Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Apreensão sobre coronavírus enfraquece índices de ações brasileiras nos EUA

25/02/2020 - 17:58
Mercados Wall Street NYSE
Por volta das 17:20, o iShares MSCI Brazil, fundo de índice (ETF) de ações brasileiras negociado nos EUA, caía 1,2%, a 39,84 pontos (Imagem: REUTERS/Bryan R Smith)

Índice de ações brasileiras negociados em Nova York recuavam nesta terça-feira, também afetado pela apreensão com o novo coronavírus e seus potenciais efeitos na atividade econômica global, enquanto o mercado no Brasil está fechado pelo Carnaval.

Por volta das 17:20, o iShares MSCI Brazil, fundo de índice (ETF) de ações brasileiras negociado nos EUA, caía 1,2%, a 39,84 pontos, enquanto o Dow Jones Brazil Titans 20 ADR, que reúne os principais ADRs do país, perdia 2%, a 20.711,20 pontos.

Na véspera, o iShares MSCI Brazil registrou queda de 4,99% no fechamento dos negócios, enquanto o Dow Jones Brazil Titans perdeu 4,81%.

A bolsa paulista não funcionou na segunda-feira e está fechada também nesta sessão em razão do Carnaval no país, com as operações na B3 previstas para serem retomadas a partir das 13h de quarta-feira.

“Os índices estão acompanhando as bolsas internacionais com aversão global a risco e busca dos chamados portos seguros”, disse o gestor Ricardo Campos, sócio na Reach Capital.

Investidores estão focados no potencial impacto econômico do surto, uma vez que ele se espalhou para novos países, incluindo a Espanha e Alemanha.

O tom negativo no exterior se acentuou após os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) alertarem que os norte-americanos devem começar se preparar para a disseminação do vírus.

“Além da China, grande consumidora de commodities exportadas pelo Brasil, o coronavírus se espalha para outros país, com riscos reais de ameaça a toda a Europa”, citou Campos.

“A economia global deve desacelerar ainda mais nesse ano que seria o ano da retomada de um crescimento maior para o Brasil.”

Bancos Goldman Sachs
O Goldman Sachs cortou previsão de crescimento da China, a 2,5% no primeiro trimestre de 4% antes (Imagem: Reuters/Brendan McDermid)

Em nota a clientes, o Goldman Sachs cortou previsão de crescimento da China, a 2,5% no primeiro trimestre de 4% antes, mas espera forte retomada no segundo e terceiro trimestre, mantendo previsão de expansão de cerca de 5,5% no ano.

“Há um risco claro de um surto mais amplo ou mais prolongado e/ou que a ruptura econômica desencadeie efeitos reforçadores por meio de vínculos na cadeia de suprimentos, mercados de crédito ou especialmente no mercado de trabalho.”

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Diana Cheng - 25/02/2020 - 17:58