Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Alemanha: Armin Laschet é escolhido para liderar democratas-cristãos, partido de Angela Merkel

16/01/2021 - 13:41
Armim Laschet
Laschet, primeiro-ministro do Estado mais populoso da Alemanha e autodenominado candidato a continuar o trabalho de Merkel (Imagem: REUTERS/Odd Andersen)

Os democratas-cristãos (CDU) da Alemanha elegeram Armin Laschet como presidente do partido neste sábado, com o objetivo de unificar a legenda hoje dividida em torno de quem poderá suceder Angela Merkel como chanceler assim que ela deixar o cargo após as eleições federais em setembro.

Laschet, primeiro-ministro do Estado mais populoso da Alemanha e autodenominado candidato a continuar o trabalho de Merkel, ganhou o segundo turno da disputa entre os delegados do partido contra o arqui-conservador Friedrich Merz.

Merkel, figura predominante da política europeia e que tem conquistado a confiança dos eleitores alemães desde que assumiu o cargo em 2005, afirmou que não vai concorrer a chanceler novamente e, desde que deixou o cargo de líder da CDU em dezembro de 2018, o partido tem encontrado dificuldades para encontrar um sucessor adequado para ela.

Primeiro-ministro da Renânia do Norte-Vestfália, Laschet, que derrotou Merz por 521 votos a 466, disse que fará todo o possível para garantir que a CDU e seu partido irmão bávaro, a União Social-Cristã (CSU), possam fiquem juntos.

Eles deverão então trabalhar para garantir que “o próximo chanceler nas eleições federais seja da coalizão CDU/CSU”, disse Laschet em seu discurso de vitória.

A eleição digital deve ser confirmada por votação postal com resultados juridicamente vinculativos em 22 de janeiro.

Merkel disse no ano passado que Laschet, de 59 anos, tinha “as ferramentas” para concorrer a chanceler, no que foi o mais perto que ela chegou de endossar alguém.

No discurso de candidatura, Laschet disse que a tarefa do próximo líder será ganhar a confiança para si e para o partido e reforçou sua capacidade de conciliar as alas partidárias.

“Eu fico ouvindo que você também tem que ser capaz de polarizar. Eu digo: não, você não precisa”, disse ele em um salão convencional vazio, com o congresso transmitido ao vivo para os delegados em função da pandemia.

Mas depois da vitória apertada no segundo turno, Laschet deve agir rapidamente para unir o partido em torno dele ou arriscar erodir seus apoiadores e ficar em uma posição mais fraca para negociar uma coalizão caso ele chegue em primeiro nas eleições de setembro.

Por tradição, o presidente da CDU é geralmente o candidato a chanceler da coalizão CDU e CSU, e o bloco conservador está a caminho de ganhar a votação federal em setembro.

Mas as pesquisas mostram que Markus Soeder, o líder da CSU, é o conservador preferido pelos eleitores. Alguns parlamentares da CDU querem que o ministro da Saúde, Jens Spahn, concorra a chanceler, embora ele tenha apoiado Laschet para liderar o partido.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Renan Dantas - 16/01/2021 - 13:42