Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

As 5 principais notícias do mercado internacional desta terça-feira

21/01/2020 - 10:17
O presidente dos EUA, Donald Trump
O julgamento do impeachment de Donald Trump no Senado começa, horas depois de o presidente e ambientalista Greta Thunberg se confrontarem em Davos (Imagem: REUTERS/Tom Brenner)

As ações globais estão caindo em meio a preocupações com uma possível reprise da epidemia de SARS, após mais notícias preocupantes da China.

O julgamento do impeachment de Donald Trump no Senado começa, horas depois de o presidente e ambientalista Greta Thunberg se confrontarem em Davos.

Existem dados econômicos muito interessantes da Europa que colocam um tom nas esperanças de um corte nas taxas no Reino Unido, enquanto a Netflix (NFLX) causa expectativa após o fechamento, com seu relatório de ganhos.

Os investidores esperam um número melhor de números do que os que obtiveram do gigante bancário suíço UBS anteriormente.

1. Julgamento de impeachment no Senado dos EUA

O julgamento do presidente Donald Trump no Senado começa nesta terça-feira em meio a controvérsia acalorada sobre as regras estabelecidas pela maioria do Partido Republicano.

As regras processuais estabelecidas pelo líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, restringem o tempo permitido para apresentar o caso contra Trump e garantem que nenhuma testemunha será chamada para depor, além de elevar o nível de admissão de evidências já fornecidas pela Câmara dos Representantes dos Estados Unidos.

O presidente é acusado de abusar do poder de seu cargo retendo ajuda militar para a Ucrânia aprovada pelo Congresso, enquanto pressionava o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky a iniciar investigações criminais contra o filho do ex-vice-presidente Joe Biden.

Biden é o líder da indicação democrata na campanha eleitoral deste ano.

2. Trump em Davos

Enquanto isso, o próprio Trump está a milhares de quilômetros de distância no Fórum Econômico Mundial, a festa preferida pela elite empresarial do mundo.

O discurso de Trump foi um recital caracteristicamente exagerado das realizações de seu próprio governo (“um boom econômico como nunca visto antes”), com alguns golpes notáveis ​​no Federal Reserve (“Eles aumentaram as taxas muito rápido e também as cortaram devagar “) e – embora ele não a tenha mencionado pelo nome, a adolescente ativista ambiental Greta Thunberg, que havia discursado no fórum pouco antes dele.

Fórum Econômico Mundial Davos Donald Trump
O discurso de Trump foi um recital caracteristicamente exagerado das realizações de seu próprio governo (Imagem: REUTERS/Denis Balibouse)

Thunberg criticou seu público por não ter feito nada de importante para lidar com as mudanças climáticas, apesar dos anos de conversa fiada. Trump descreveu os ativistas climáticos como os sucessores dos profetas medievais da destruição, chamando-os de socialistas de armário que não desejam nada além de poder pessoal.

As questões ambientais estão ocupando um lugar de destaque na agenda do Fórum Econômico Mundial deste ano, depois de 2019 ter sido o ano mais quente já registrado nos oceanos do mundo e o segundo mais quente para as temperaturas médias globais, além de ser marcado por uma série de eventos climáticos extremos como os tufões que atingem o Japão e incêndios na Austrália, Rússia, EUA e Brasil.

3. Ações atingidas pelo medo da epidemia asiática

Uma onda de aversão ao risco atingiu os mercados de ações globais, pois a disseminação de um vírus semelhante à pneumonia pela China desencadeou preocupações com o crescimento chinês, enquanto o rebaixamento da Moody no classificação de crédito de Hong Kong também continuou pesando no otimismo dos investidores.

Mercados Wall Street NYSE
Os índices de ações chineses haviam caído entre 1,4% e 2,0%, enquanto o Euro Stoxx 50 caía 0,8% e o Reino Unido FTSE 100 caía 1,2% (Imagem: REUTERS/Brendan McDermid)

O chamado coronavírus já matou quatro pessoas, com centenas de casos confirmados em todo o país, tem aumentando o medo de uma reprise da epidemia de SARS há quase 20 anos. As autoridades confirmaram que a doença pode ser transmitida de pessoa para pessoa.

Às 10h10 (horário de Brasília), os futuros do Dow caíam 0,19%, enquanto futuros do S&P 500 caíam 0,30% e os futuros Nasdaq 100 caíam 0,38%.

No início do dia, os índices de ações chineses haviam caído entre 1,4% e 2,0%, enquanto o Euro Stoxx 50 caía 0,8% e o Reino Unido FTSE 100 caía 1,2%.

4. Dados mais otimistas da Europa atingem chances de redução da taxa no Reino Unido

O caso de um corte na taxa de juros no Reino Unido recebeu um golpe dos dados mais fortes do que o esperado do mercado de trabalho. Instituto Nacional de Estatísticas Britânico (Office for National Statistics) registrou um aumento de 208.000 em empregos nos três meses até novembro, quase o dobro da estimativa de consenso.

libra subia 0,3% após as notícias, mas não conseguiu romper a tendência de queda desde que a euforia inicial na vitória eleitoral de Boris Johnson começou a desaparecer em meados de dezembro.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Também houve notícias mais animadoras da Alemanha, onde a pesquisa do ZEW sobre o sentimento dos investidores atingiu seu nível mais alto em quatro anos em janeiro. Isso após um relatório do Bundesbank da Alemanha na segunda-feira, sugerindo que o principal setor manufatureiro poderia começar a se reerguer no início deste ano.

euro subia acima de US$ 1.1100 pela primeira vez desde sexta-feira em resposta.

5. Lucros da Netflix em destaque após decepção do UBS

Netflix divulgará seus números para os três meses até dezembro após o fechamento, uma atualização que mostrará em que forma a empresa está, em um ambiente de maior competição no no streaming neste ano.

Os analistas consultados pela Investing.com preveem lucro por ação de US$ 0,52 e receita de US$ 5,45 bilhões.

Netflix
Netflix divulgará seus números para os três meses até dezembro após o fechamento (Imagem: Facebook/Netflix)

Além disso, a IBM apresentará seu último resultado trimestral. Os investidores esperam que um retorno quebre uma tendência de anos de queda na receita da empresa.

Antes, o gigante bancário suíço UBS Group (UBS) errou as estimativas com os resultados do quarto trimestre e 2019, estabelecendo um conjunto abaixo das metas de médio prazo num cenário de baixas taxas de juros persistentes.

Última atualização por Rafael Borges - 21/01/2020 - 10:27