Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

As 5 principais notícias do mercado internacional nesta sexta-feira

25/10/2019 - 8:50
Wall Street Mercados
Amazon registra queda de 26% ao ano (Imagem: Reuters/Brendan McDermid)

Por Investing.com

1. O lançamento da entrega Prime prejudica a Amazon 

Os ganhos da Amazon (AMZN).com caíam 26% no ano nos três meses a setembro, o primeiro declínio anual em dois anos e o segundo trimestre consecutivo em que perdeu as expectativas dos analistas. A receita aumentou 24%, para US$ 70 bilhões, o que supera as previsões dos analistas, mas as ações devem abrir acentuadamente em baixa, depois de cair mais de 7% nas negociações após o horário comercial na quinta-feira.

A receita aumentou 24%, para US$ 70 bilhões, o que supera as previsões dos analistas (Imagem: Dhiraj Singh/Bloomberg)

Os números refletem outro forte aumento no investimento, desta vez para pagar pela implantação da entrega no mesmo dia pelo serviço de assinatura Prime. Os custos de envio globais aumentaram 46% no ano.

A Amazon (AMZN) disse que espera que seu lucro operacional no quarto trimestre caia entre US$ 1,2 e US$ 2,9 bilhões, muito aquém dos US$ 4,2 bilhões esperados anteriormente por analistas.

2. Mercados devem para abrir sem direção definida

Wall Street está programada para abrir de forma mista, com as notícias da Amazon (AMZN) sendo compensadas por resultados melhores do que o esperado após o fechamento durante a noite, tanto da Visa (V) quanto da Intel (INTC).

Mercados Ibovespa
Wall Street está programada para abrir de forma mista (Imagem: /Nacho Doce)

Os contratos futuros da Dow permaneciam inalterados, enquanto os contratos futuros do S&P 500 sobem 0,07% e o contrato Nasdaq 100 Futuros avançam 0,81%.

A lista de ganhos de hoje é liderada pela Verizon (VZ), que deve reportar antes da abertura, juntamente com a Charter Communications (CHTR), a Illinois Tool Works (ITW), a refinaria Phillips 66 (PSX) e a Aon (AON).

É um dia leve no que se refere a dados, com apenas os números finais do sentimento do consumidor da Universidade de Michigan em outubro. Na Europa, havia outros sinais de que a Alemanha, a maior economia da região, pode estar chegando ao fundo do poço. O índice de clima de negócios Ifo, observado de perto, permaneceu inalterado em 94,6.

3. Libra tropeça enquanto Johnson aposta

A libra britânica e o Reino Unido FTSE 100 caíam depois que o primeiro-ministro Boris Johnson pediu uma eleição geral para quebrar o impasse sobre seu projeto de lei em relação ao Brexit.

Boris Johnson
Boris Johnson foi forçado pelo parlamento no fim de semana a pedir à UE outra prorrogação do prazo de 31 de outubro (Imagem: Reuters/Toby Melville)

A decisão de Johnson refletiu pela última vez a falta de confiança de que o projeto seria aprovado conforme planejado, após crescentes sinais de preocupação entre os parlamentares de que ainda não foi banida a probabilidade de um Brexit desordenado e sem acordo este ano ou no final do suposto período de transição no final de 2020.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Johnson foi forçado pelo parlamento no fim de semana a pedir à UE outra prorrogação do prazo de 31 de outubro, e embora a UE tenha simpatizado com o pedido, a Reuters informou sexta-feira que não vai tomar uma decisão sobre quanto tempo concederá até o parlamento votar no pedido de Johnson para uma eleição na segunda-feira. A oposição sinalizou que não apoiará as eleições antes que o risco do Brexit sem acordo seja completamente removido.

4. Problemas ao preparar a Bud

As ações da Anheuser-Busch Inbev, a maior cervejaria do mundo, caíam mais de 9% na Europa depois que a empresa registrou vendas fracas na China no terceiro trimestre e reduziu sua previsão de lucro para o ano.

A cervejaria agora vê apenas um aumento “moderado” nos ganhos implícitos, ao invés do aumento “forte” esperado anteriormente, destacando que espera que os ventos contrários continuem até o final do ano.

Houve notícias melhores do setor de luxo, onde tanto a proprietária da Gucci, Kering (PRTP) quanto a italiana Moncler relataram aumentos robustos nas vendas asiáticas, evitando os problemas que atingiram suas butiques em Hong Kong durante o verão.

5. Boeing responsabilizada pelo acidente da Lion Air

A Indonésia encerrou uma semana miserável para a Boeing (BA), culpando-a formalmente pelo acidente do Lion Air 737 MAX no início deste ano, no relatório final das autoridades que investigam o desastre.

Boeing
A Boeing prometeu novamente corrigir os problemas o mais rápido possível (Imagem: Boeing)

Ele disse que o design e a certificação do sistema de controle de vôo do MCAS “não eram adequados” e disse que a fabricante de aviões se baseou em suposições falsas. Também criticou a Boeing (BA) por fornecer às companhias aéreas orientações inadequadas sobre como responder a problemas com o MCAS.

A Boeing (BA) prometeu novamente corrigir os problemas o mais rápido possível.

Última atualização por Rafael Borges - 25/10/2019 - 8:52