Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Aumente sua exposição às transmissoras de energia para ganhar no curto prazo, avalia Ágora

28/10/2020 - 10:12
Transmissão Paulista
De acordo com eles, o setor de transmissão é historicamente um dos menos sensíveis a mudanças nos rendimentos de longo prazo (Imagem: Transmissão Paulista/Linkedin)

A Ágora Investimento avaliou que os investidores deveriam aumentar sua exposição às transmissoras de energia, como Alupar (ALUP11), Taesa (TAEE11) e CTEEP (TRPL4), para ganhar com as ações nos próximos seis a oito meses.

“O ciclo de capex de greenfield (investimentos em projetos novos) para essas empresas vai terminar em meados de 2021, potencialmente impulsionando a compressão da taxa de desconto”, informou a corretora.

De acordo com eles, o setor de transmissão é historicamente um dos menos sensíveis a mudanças nos rendimentos de longo prazo, apenas atrás de setores com receita vinculada ao dólar tais como frigoríficos, papel & celulose, mineração e agronegócio.

“Assim, em nossa opinião, os investidores poderiam logo perceber a atratividade dessas ações dada: taxas de desconto decrescentes e aumento dos rendimentos via dividendos conforme o investimento cai para níveis de manutenção e o ambiente atual de taxas SELIC de curto prazo relativamente baixas”, afirmou a Ágora.

Sendo assim, a recomendação é de compra para as três empresas, tendo Alupar com preço-alvo é de R$ 30 para final de 2021, Taesa a um preço-alvo de R$ 35, e para CTEEP com preço-alvo de R$ 32.

Na visão da corretora, o principal risco é estouros/atrasos de capex na última parte de execução de projetos greenfield e a CTEEP carrega o adicional risco dos pagamentos de seu plano de pensão em nome do Estado de SP.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 28/10/2020 - 10:12