Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

B3 tem lucro líquido de R$ 209,026 milhões no 1º trimestre, queda de 56%

12/05/2017 - 23:07

B3

Em sua primeira divulgação após a fusão da BM&FBovespa e Cetip, a B3 anunciou um lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 209,026 milhões, queda de 56% em relação ao observado no mesmo período do ano passado. Em relação ao último trimestre do ano passado o recuo foi de 80,6%. Esse número, não auditado, considera o trimestre completo das companhias combinadas.

Na prática a empresa simulou que a operação tivesse acontecido em primeiro de janeiro para facilitar o entendimento sobre a nova empresa após a fusão. A queda do lucro da companhia reflete as despesas relacionadas à consumação da operação, que ocorreu no fim de março, após as aprovações regulatórias. Em seu demonstrativo financeiro, a companhia aponta que R$ 275,7 milhões foram despesas relacionadas à combinação com a Cetip, como gastos com bancos de investimento e escritórios de advocacia envolvidos na operação.

Outra linha que avançou no trimestre, pelo mesmo motivo, está em “diversas”, o que inclui, por exemplo, mudança da metodologia de análise de contingências, que somou R$ 164,107 milhões no período analisado. Se forem desconsiderados tais itens, não recorrentes, o lucro combinado no primeiro trimestre seria de R$ 523,6 milhões, alta de 9,6%. No entanto, na comparação com o trimestre imediatamente anterior, houve queda de 22,5%.

“A consumação da combinação de negócios entre a BM&FBovespa e a Cetip possivelmente está entre um dos principais marcos na história do mercado financeiro brasileiro. Nossa maior prioridade no curto e no médio prazos é integrar as duas companhias, enquanto continuamos a executar nossas atividades diárias com excelência e em benefício de nossos clientes, reguladores e acionistas”, destaca, no documento que acompanha o demonstrativo financeiro da B3, o diretor presidente da companhia, Gilson Finkelsztain.

Segundo o executivo, a busca da companhia será assegurar que a integração “permita capturar todas as eficiências e os benefícios esperados da combinação”. Esse é a primeira divulgação de resultados já com Gilson Finkelsztain no comando da companhia. O executivo, ex-presidente da Cetip, sucedeu Edemir Pinto no início do segundo trimestre do ano. A receita líquida da companhia combinada atingiu R$ 940,907 milhões no primeiro trimestre do ano, alta de 7,6%. Em relação aos últimos três meses do ano passado a receita caiu 1,8%.

“Precisamos destacar que estamos reportando números combinados que dão uma boa percepção da companhia de como ela será daqui para frente”, afirma o diretor executivo de Financeiro e de Relações com Investidores da B3, Daniel Sonder, em entrevista ao Broadcast. Se for considerado o lucro líquido atribuível aos acionistas da BM&FBovespa, com a contribuição do negócio da Cetip de apenas dois dias no período, o número chega em R$ 280,552 milhões no intervalo de janeiro a março, ante R$ 339,3 milhões no primeiro trimestre do ano imediatamente anterior.

A fusão entre BM&FBovespa e Cetip foi aprovada pelos órgãos reguladores no dia 22 de março, mas o pontapé da integração foi dado no dia 29. As teleconferências da B3 estão programadas para ocorrer na próxima segunda-feira, dia 15. A primeira será às 11 horas, em inglês, e a segunda, às 13 horas, em português.

Leia mais sobre: , ,

Última atualização por - 05/11/2017 - 14:04

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto