Empresas

Baidu divulga resultados com receita de US$ 4,5 bilhões; rival do ChatGPT espera ‘okay’ regulatório

16 maio 2023, 15:28 - atualizado em 16 maio 2023, 15:28
Baidu ChatGPT inteligência artificial
A receita do Baidu Core, que inclui vendas de anúncios baseados em pesquisa, ofertas de nuvem e iniciativas de direção autônoma, cresceu 8%, para 23 bilhões de yuans (Imagem: REUTERS/Florence Lo)

O Baidu divulgou seus resultados nesta terça-feira (16), com receita e lucro no primeiro trimestre acima do esperado. A chinesa rival da Google, e agora um dos principais rivais do ChatGPT, também disse que aguarda aprovação regulatória para lançar seu chatbot de inteligência artificial chamado Ernie.

A receita do Baidu aumentou 10%, para 31,14 bilhões de yuans, ou US$ 4,54 bilhões, no trimestre encerrado em 31 de março. Os números superaram as estimativas dos analistas de 29,97 bilhões de yuans, segundo dados da Refinitiv. O ebitda ajustado do trimestre foi de US$ 1,19 bilhão e a margem EBITDA ajustada foi de 26%.

A receita do Baidu Core, que inclui vendas de anúncios baseados em pesquisa, ofertas de nuvem e iniciativas de direção autônoma, cresceu 8%, para 23 bilhões de yuans.

Desse total, a receita do maior segmento do Baidu, o marketing online, representou 16,6 bilhões de yuans, um aumento de 6%. A receita do serviço de streaming iQIYI subiu 15% para 8,3 bilhões de yuans, com crescimento de 28% em sua base de assinantes.

Com isso, a gigante chinesa reportou lucro líquido de 5,83 bilhões de yuans, revertendo prejuízo líquido apurado no mesmo trimestre do ano anterior. Excluindo itens extraordinários, ganhou 16,10 yuans por Ação Depositária Americana (ADS), acima da estimativa de Wall Street de 12,46 yuans.

Baidu avança espera ‘okay’ regulatório para lançar rival de ChatGPT

Robin Li, presidente-executivo da Baidu, afirmou em comunicado à imprensa que a empresa planeja “incorporar constantemente” o chatbot gerado por IA em todos os negócios da companhia. Entretanto nenhuma data foi anunciada.

Ainda no comunicado, o presidente-executivo da Baidu diz que após o Ano Novo Lunar, celebrado no fim de janeiro, houve uma rápida recuperação econômica na China. A retomada beneficiou especialmente os anunciantes da empresa em setores offline, como viagens e saúde.

Entretanto, o foco maior foi no setor de inteligência artificial de linguagem generativa, como o ChatGPT da OpenAI.

Em uma teleconferência com analistas, Li afirmou que a empresa havia solicitado a revisão e aprovação do bot Ernie pelo governo chinês e o lançará em larga escala. A empresa agora aguarda a aprovação regulatória do país.

“Acreditamos que o surgimento da IA ​​generativa e do grande modelo de linguagem apresenta um potencial transformador da IA ​​em vários setores, para ajudar pessoas e organizações a alcançar mais e causar um impacto positivo na sociedade. À luz dessa tendência, a Baidu lançou seu ERNIE bot na China, que planejamos incorporar constantemente em todos os nossos negócios”, disse Li.

A incorporação da tecnologia capacitará os produtos e ofertas da Baidu, e irá atrair uma base maior de usuários e clientes, segundo o preidente-executivo. “Também permitirá impulsionar o crescimento sustentável a longo prazo.”

Rong Luo, CFO da Baidu, reafirma que a empresa vai continuar investindo em inteligência artificial nos próximos trimestres. O Ernie bot, ainda não foi lançado oficialmente, apesar de ter sido parcialmente revelado ao público na segunda metade de março deste ano.

*Com Reuters

Repórter do Crypto Times
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Repórter do Crypto Times, e autor do livro "2020: O Ano que Não Aconteceu". Escreve sobre criptoativos, tokenização, Web3 e blockchain, além de matérias na editoria de tecnologia, como inteligência artificial, Real Digital e temas semelhantes. Já cobriu eventos como Consensus, LabitConf, Criptorama e Satsconference.
Twitter Linkedin
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Repórter do Crypto Times, e autor do livro "2020: O Ano que Não Aconteceu". Escreve sobre criptoativos, tokenização, Web3 e blockchain, além de matérias na editoria de tecnologia, como inteligência artificial, Real Digital e temas semelhantes. Já cobriu eventos como Consensus, LabitConf, Criptorama e Satsconference.
Twitter Linkedin