Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

BCE quer destinar metade das novas contratações para mulheres

14/05/2020 - 15:54
BCE Banco Central Europeu Christine Lagarde
“Queremos que o equilíbrio de gênero seja a norma agora, e não uma revolução para lutar depois”, disse Lagarde (Imagem: Reuters/Ralph Orlowski)

O Banco Central Europeu revisou metas de gênero para aumentar a presença de mulheres na instituição.

O novo objetivo é preencher “pelo menos metade das posições novas e em aberto com mulheres em todos os níveis”, disse o BCE na quinta-feira. A estratégia cobre o período até 2026, dentro do mandato da presidente do BCE, Christine Lagarde. As metas visam aumentar a participação de mulheres no banco para entre 40% e 51% nesse período.

“Queremos que o equilíbrio de gênero seja a norma agora, e não uma revolução para lutar depois”, disse Lagarde.

O BCE publicará avaliações preliminares em 2022 e 2024. Funcionários que não quiserem declarar o sexo não serão incluídos nas estatísticas.

Relatório anual divulgado no início deste mês mostrou que instituição não havia cumprido a meta para o número de mulheres em cargos de gerência até o fim do ano passado, embora tenha atingido a meta para gerentes sênior.

O BCE definiu as metas em 2013 para não dar a impressão de que é comandado por homens.

Os novos objetivos vão além dos cargos de gerência, e incluem vários níveis mais baixos na escala salarial do BCE. A instituição disse que as metas são acompanhadas por outras medidas para apoiar a diversidade de gênero. No ano passado, por exemplo, o BCE lançou uma bolsa de estudos para mulheres que estudam economia.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 14/05/2020 - 15:54