Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

BP corta dividendo pela metade após prejuízo recorde e acelera reinvenção

04/08/2020 - 9:12
Shell
Diversas delas cortaram dividendos em resposta, incluindo Shell e a norueguesa Equinor (Imagem: Reuters/Yves Herman)

A BP cortou seus dividendos pela primeira vez em uma década, após um prejuízo recorde de 6,7 bilhões de dólares no segundo trimestre, quando a crise do coronavírus impactou a demanda por combustíveis.

Mas a companhia conseguiu passar uma mensagem positiva aos investidores ao acelerar planos de reinvenção como uma empresa de baixo carbono– as ações subiam mais de 7% após a petroleira ter divulgado objetivos de reduzir sua produção de petróleo e gás em 40% e aumentar investimentos em energias renováveis como usinas eólicas e solares na próxima década.

Todas grandes petroleiras têm sofrido no segundo trimestre, uma vez que medidas de isolamento adotadas para conter a disseminação do novo coronavírus limitaram viagens e levaram os preços do petróleo a tocar os menores níveis em duas décadas.

Diversas delas cortaram dividendos em resposta, incluindo Shell e a norueguesa Equinor.

O presidente da BP, Bernard Looney, que assumiu o cargo em fevereiro, evitou reduzir os dividendos no primeiro trimestre, apesar de uma piora nas condições de mercado e do corte de dividendos por rivais.

Mas nesta terça-feira a BP reduziu o dividendo em 50%, para 5,25 centavos de dólar por ação, enquanto analistas estimavam corte de 40%.

O prejuízo líquido da BP ficou em linha com as expectativas de analistas e foi em grande parte devido à decisão da empresa de realizar baixas contábeis de 6,5 bilhões de dólares no valor de seus ativos de exploração de petróleo e gás após uma revisão de projeções de preços.

A BP registrou impairments totais de 17,4 bilhões de dólares, no limite superior de sua projeção anterior.

“Esses resultados foram guiados por outro trimestre desafiador, mas também por medidas deliberadas que tomamos à medida que continuamos a re-imaginar a energia e reinveintar a BP”, disse Looney em um comunicado, em referência às baixas contábeis.

BP
A BP registrou impairments totais de 17,4 bilhões de dólares, no limite superior de sua projeção anterior (Imagem: Reuters/Luke MacGregor/)

O prejuízo, segundo definições contábeis da BP, é o primeiro registrado pela empresa segundo dados do Refinitiv Eikon. Looney disse que foi “o mais duro trimestre na história da indústria”.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 04/08/2020 - 9:12