Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Cade avalia restrições para venda de rede móvel da Oi

19/01/2021 - 14:38
Oi OIBR3
A barreira para a entrada de outra empresa que possa fomentar a concorrência é alta, já que as telecomunicações são um setor regulado (Imagem: Divulgação/Oi)

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) avalia a imposição de restrições e da venda de ativos para aprovar a compra das operações de telefonia móvel da Oi (OIBR3OIBR4) pelas concorrentes, disseram pessoas a par do assunto.

O negócio é visto como complexo porque tiraria do mercado a quarta maior operadora de telefonia móvel do país, ampliando ainda mais a participação da Tim (TIMP3), Claro e Vivo (VIVT3), segundo duas pessoas, que pediram anonimato porque as discussões não são públicas.

A barreira para a entrada de outra empresa que possa fomentar a concorrência é alta, já que as telecomunicações são um setor regulado, acrescentaram.

Envolvida num processo de recuperação judicial que já dura cinco anos e com uma dívida de mais de R$ 21 bilhões, a Oi vendeu seu negócio de telefonia móvel por R$ 16,5 bilhões. A unidade tem mais de 36 milhões de clientes, que seriam divididos entre as outras três empresas.

O negócio também inclui o acesso às frequências operadas pela Oi, o que aumenta a preocupação com a concentração – e pode significar que a venda de ativos ou restrições comportamentais não sejam suficientes e o Cade imponha restrições estruturais, como obrigar as empresas a leiloar as ondas, disseram as pessoas.

A rejeição do negócio também é uma opção, disse uma pessoa, acrescentando que as soluções ainda estão sendo discutidas.

O Cade não quis comentar o caso, ainda em análise. Tim, Vivo e Claro não comentaram.

A Oi diz que a venda da unidade móvel é “ponto fundamental para o cumprimento do plano aprovado pelos credores visando a recuperação de sua sustentabilidade”.

“A companhia tem confiança de que todas as análises regulatórias e concorrenciais serão realizadas com o devido cuidado e diligência”, afirma a empresa em nota enviada por email, complementando que um mercado competitivo requer empresas sustentáveis e com capacidade de investimento.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 19/01/2021 - 14:38