Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Calendário Econômico: fique por dentro das 5 principais notícias da semana

13/01/2020 - 7:38
Nyse Mercados
A temporada de resultados do quarto trimestre deve começar para valer na terça-feira, com os balanços dos bancos (Imagem: REUTERS/Bryan R Smith)

Os EUA devem assinar o tão aguardado acordo comercial da Fase 1 com a China esta semana. A expectativa é que isso permita que as duas maiores economias do mundo superem uma guerra comercial que assolou os mercados financeiros e agiu como um empecilho para o crescimento do mercado global nos últimos 18 meses.

A temporada de resultados do quarto trimestre deve começar para valer na terça-feira, com os balanços dos bancos. Enquanto isso, os investidores também ficam de olho nos dados econômicos, incluindo o PIB chinês e alemão, para obter atualizações sobre exatamente o quanto o crescimento global esfriou em 2019. Aqui está o que você precisa saber para começar sua semana.

1. EUA e China baterão o martelo comercial

O vice-primeiro-ministro chinês Liu He visitará Washington para assinar o acordo comercial da Fase 1 com os EUA na quarta-feira, que vai diminuir a guerra comercial entre os dois lados. Sob os termos do acordo provisório, a China prometeu aumentar as importações dos EUA em troca da suspensão das tarifas ameaçadas de dezembro sobre as importações chinesas para os EUA e uma reversão parcial das tarifas de setembro.

EUA China
Na Próxima quarta-feira, o vice-primeiro-ministro chinês Liu He visitará Washington para assinar o acordo comercial da Fase 1 com os EUA (Imagem: REUTERS/Damir Sagolj)

Mas ainda não foi estabelecido um prazo para a próxima fase das negociações e, se os dois lados não cumprirem seus compromissos, as tensões comerciais poderão se intensificar novamente.

A extensão da queda na economia da China poderá ser visível nos próximos dados desta semana. Os números do comércio na terça-feira devem mostrar um aumento nas importações e exportações. Prevê-se que a leitura do PIB de dezembro, prevista para sexta-feira, mostre um crescimento de 6%.

2. Resultados bancários à vista

As bolsas de valores dos EUA continuam a registrar recordes, ignorando as más notícias, sejam elas na política ou nos ganhos empresariais. E é improvável que isso mude após a temporada de ganhos do quarto trimestre, que os bancos dos EUA iniciarão a partir de terça-feira.

A análise refinada sugere que as empresas S&P 500 tiveram um trimestre sombrio, com o lucro por ação caindo 0,6% – o segundo declínio trimestral consecutivo. Isso se deve em parte a um trimestre forte de um ano atrás, mas também à força da energia e dos setores industriais, que sofreram o impacto da guerra comercial.

Mercados Wall Street
As bolsas de valores dos EUA continuam a registrar recordes, ignorando as más notícias, sejam elas na política ou nos ganhos empresariais (Imagem: REUTERS/Brendan McDermid)

Os bancos podem se sair melhor. JPMorgan (JPM), Morgan Stanley (MS), Goldman Sachs (GS) e Wells Fargo (WFC) devem divulgar seus dados nos próximos dias, e as previsões são de crescimento de 11,2% nos ganhos em todo o setor. O índice bancário de Wall Street saltou 36% no ano passado, superando até mesmo os ganhos do S&P 500 subjacente.

3. Dados dos EUA; Discursos do Fed

Espera-se que os últimos números de inflação nos EUA permaneçam amplamente alinhados com a meta de inflação de 2%, enquanto os números de vendas no varejo na temporada de festas serão observados de perto após dados informais indicarem que as lojas de departamento tiveram um período difícil na temporada de festas.

Federal Reserve EUA
Após um período tranquilo de férias, os investidores terão oportunidade de ouvir as autoridades do Federal Reserve (Imagem: Reuters/Kevin Lamarque)

Os investidores também terão a oportunidade de ouvir um número de autoridades do Federal Reserve após o período tranquilo de férias.

O presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, e o chefe do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, discutirão as perspectivas econômicas em aparições na segunda-feira. A presidente do Fed de Kansas City, Esther George, fará comentários na terça-feira, enquanto Patrick Harker, do Philadelphia Fed, e Robert Kaplan, do Dallas Fed, devem comparecer na quarta-feira.

4. Semana movimentada nos dados do Reino Unido

Será uma semana movimentada no calendário econômico do Reino Unido, com números sobre crescimento no quarto trimestre, comércio, produção industrial, vendas no varejo e inflação, todos a serem divulgados.

Os dados serão observados de perto depois que o governador do Banco da Inglaterra, Mark Carney, prometeu na semana passada uma “resposta relativamente rápida” se a fraqueza econômica persistir.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O próprio Carney não estará supervisionando nenhuma mudança de política – a reunião de janeiro é sua última como governador do BOE.

A Grã-Bretanha deve deixar a União Europeia em 31 de janeiro, em meio a uma grande incerteza sobre se 11 meses serão longos o suficiente para chegar a um acordo comercial. Já rejeitado pela UE como “impossível”, o prazo apertado pode limitar qualquer recuperação no crescimento econômico e no investimento.

5. PIB alemão

A Alemanha divulgará números sobre o crescimento do PIB em 2019 na quarta-feira, depois de um ano em que a maior economia da Zona do Euro foi afetada por uma recessão na indústria. Os economistas estão prevendo um crescimento de 0,6%, que seria a taxa de crescimento mais lenta da economia alemã desde 2013.

Na Próxima quarta-feira, a Alemanha divulgará o crescimento do PIB de 2019 (Imagem: Pixabay)

Na quinta-feira, o Banco Central Europeu deve publicar as atas de sua reunião de política monetária de dezembro – a primeira a ser presidida pela nova presidente Christine Lagarde.

Última atualização por Rafael Borges - 13/01/2020 - 7:43