BusinessTimes

CBA (CBAV3) dá adeus ao níquel e vende unidade em Goiás; veja quanto ela vai receber

12 abr 2023, 18:29 - atualizado em 12 abr 2023, 18:30
Alumínio-CBA
A CBA afirmou que a venda da Niquelândia está alinhada à estratégia da empresa de focar no core business do negócio de alumínio (Imagem: Divulgação/CBA)

A CBA (CBAV3) informou nesta quarta-feira (12) que assinou um contrato com a Wave Nickel Brasil, controlada da New Wave, envolvendo a venda da unidade Niquelândia por R$ 20 milhões.

A operação envolve a mina de níquel e a planta de processamento. Do valor total da transação, a CBA receberá R$ 4 milhões em até sete dias após a assinatura do contrato. Os R$ 16 milhões restantes serão apresentados na conclusão da venda.

O acordo também diz que, em caso de retomada da produção de Niquelândia pela Wave Nickel Brasil (operações foram suspensas em 2016 por “condições de mercado”), a CBA terá o direito de receber 3% de royalties sob a receita operacional líquida, limitados a US$ 10 milhões ao ano.

Segundo a CBA, a barragem de Jacuba está em processo de descomissionamento e permanece sob responsabilidade da companhia.

A unidade Niquelândia, localizada em Goiás (GO), começou a operar em 1981. Possui 55 milhões de toneladas de recursos de níquel (0,94% Ni e 0,12% Co) e tem capacidade de produzir cerca de 20 mil toneladas de níquel contido em carbonato, através do método Caron.

A CBA afirmou que a venda da Niquelândia está alinhada à estratégia da empresa de focar no core business do negócio de alumínio. Após a conclusão da transação, a CBA deixará de ter exposição ao negócio de níquel.

A conclusão da transação está sujeita ao cumprimento de obrigações e condições precedentes usuais nesse tipo de operação, incluindo a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Editora-assistente
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como editora-assistente do Money Times há pouco mais de três anos cobrindo ações, finanças e investimentos. Antes do Money Times, era colaboradora na revista de Arquitetura, Urbanismo, Construção e Design de interiores Casa & Mercado.
Linkedin