Empresas

CEO da Ryanair estuda nova encomenda de jatos Max da Boeing

Bloomberg - 03/03/2020 - 15:40
Uma nova encomenda da Ryanair proporcionaria um impulso à Boeing, que ainda tenta resolver problemas pendentes para que o Max possa voar novamente (Imagem: Wikimedia Commons)

O diretor-presidente da Ryanair, Michael O’Leary, disse que a companhia aérea europeia de baixo custo negocia com a Boeing uma segunda encomenda do modelo Max, que está fora de operação.

Embora os voos com jatos Max estejam suspensos globalmente há quase um ano após dois acidentes, a Ryanair está em “discussões ativas” para comprar mais aviões de corpo estreito, disse O’Leary na terça-feira em entrevista à Bloomberg TV, em Bruxelas.

Uma nova encomenda da Ryanair proporcionaria um impulso à Boeing, que ainda tenta resolver problemas pendentes para que o Max possa voar novamente.

A companhia aérea irlandesa é um dos maiores clientes do modelo atingido pela crise, com 210 pedidos, embora ainda não tenha recebido as encomendas, o que aumenta a possibilidade de comprar aviões da rival Airbus.

O’Leary não descartou a compra de jatos da Airbus, mas disse que a empresa europeia precisaria reduzir os preços e criar slots de entrega mais atraentes.

O CEO disse que as negociações com a Boeing evolvem os modelos Max 200, uma versão de alta capacidade do básico Max 8 especificado pela Ryanair (Imagem: Wikimedia Commons)

“Se o preço for justo, compraremos aeronaves”, disse. “Estou interessado apenas em aeronaves que me permitam reduzir meus custos operacionais. A carteira de pedidos da Airbus está praticamente cheia e os preços altos há quatro ou cinco anos.”

Demandas de entrega

O CEO disse que as negociações com a Boeing evolvem os modelos Max 200, uma versão de alta capacidade do básico Max 8 especificado pela Ryanair, juntamente com o primeiro lote do Max 10, de maior porte. O pedido atenderia às demandas de entrega de 2024 a 2028.

O’Leary acredita que o trabalho para realizar as correções finais necessárias para que reguladores aprovarem a retomada dos voos com o Max, incluindo problemas de fiação e software, deve ser concluído até o fim de abril, abrindo caminho para testes de voo até maio.

Isso permitiria que companhias aéreas dos EUA voltassem a operar o modelo em junho e julho, embora o executivo tenha dúvidas de que os voos sejam retomados na Europa antes do fim do verão no hemisfério norte.

A Ryanair espera receber a primeira aeronave em setembro ou outubro, refletindo parcialmente a necessidade do Max 200 de obter certificação separada.

O’Leary disse que 20 aviões destinados à companhia aérea já foram fabricados e a expectativa é que comecem a voar comercialmente em novembro.

O’Leary participou da cúpula “Airlines for Europe 2020” na capital belga.

Pela Web