Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

China acredita que crise da peste suína será superada em breve

17/10/2019 - 15:52
Porcos
Os estoques de suínos do país devem aumentar gradualmente, e a oferta de mercado voltará ao normal em 2020, disse diretor do departamento de pecuária e veterinária do ministério (Imagem: REUTERS/Ben Brewer/File Photo)

O número de suínos na China, maior produtor e consumidor mundial de carne de porco, deve parar de cair antes do fim do ano, como consequência das políticas do governo para combater a peste suína africana, segundo uma autoridade do Ministério da Agricultura.

Os estoques de suínos do país devem aumentar gradualmente, e a oferta de mercado voltará ao normal em 2020, disse Yang Zhenhai, diretor do departamento de pecuária e veterinária do ministério, em conferência de imprensa em Pequim na quinta-feira.

Além de um programa de abate em larga escala, as medidas do governo incluíram a proibição do transporte de porcos vivos, o fechamento de mercados e o fornecimento de subsídios para grandes fazendas para aumentar a produção.

Sinais de recuperação já estão surgindo, segundo Yang. Nas grandes fazendas, o número de suínos aumentou 0,6% em setembro em relação ao mês anterior, para 44,5 milhões, disse, citando uma pesquisa com operações de produção anual de mais de 5 mil suínos. A população de porcas reprodutoras subiu 3,7% em setembro em relação a agosto.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Em todas as fazendas do país, a redução de plantéis de suínos e porcas reprodutoras desacelerou em setembro na comparação mensal pela primeira vez desde março. O número de suínos encolheu 3% em relação a uma queda de 9,8% em agosto, enquanto a população de porcas reprodutoras diminuiu 2,8% em setembro em comparação com a queda de 9,1% no mês anterior.

A doença altamente contagiosa devastou plantéis na China, levando a uma queda dos estoques de suínos e da produção de carne de porco em relação ao ano anterior (Imagem: REUTERS/Stringer)

As perspectivas mais otimistas da autoridade chinesa ecoam comentários feitos esta semana pelo vizinho Vietnã, segundo o qual o número de porcos infectados e abatidos havia caído significativamente.

A doença altamente contagiosa devastou plantéis na China, levando a uma queda dos estoques de suínos e da produção de carne de porco em relação ao ano anterior, além de provocar alta dos preços e aumento das importações de carne. Os preços da carne de porco subiram 69% em setembro em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o Departamento Nacional de Estatística.

A peste suína africana se espalhou para vários países da Ásia, incluindo Mongólia, Laos, Filipinas e Coreias do Norte e do Sul.

Leia mais sobre: Bloomberg, Carnes, China, Internacional

Última atualização por Diana Cheng - 17/10/2019 - 15:52