China manterá tarifa sobre grãos de destilaria dos EUA, enquanto conduz revisão

11/01/2022 - 16:09
Etanol de milho
As tarifas da China sobre DDGS dos EUA foram implementadas pela primeira vez em 2016 a uma taxa de 33,8% (Imagem: Reuters/Mark Blinch)

O Ministério do Comércio da China disse nesta terça-feira que manterá tarifas antidumping e anti-subsídios sobre as importações dos Estados Unidos de grãos de destilaria (DDGS), um subproduto da produção de etanol usado em ração animal, durante uma revisão.

O ministério conduzirá investigações de revisão da validade das medidas antidumping e anti-subsídios impostas às importações de DDGS dos Estados Unidos a partir de 12 de janeiro e deve terminar antes de 12 de janeiro de 2023, disse o ministério em comunicados.

“Os preços do milho na China ainda estão altos e os processadores de milho estão enfrentando margens apertadas”, disse Darin Friedrichs, cofundador da empresa de pesquisa agrícola Sitonia Consulting.

“Se os DDGS dos EUA estivessem entrando na China, eles pressionariam ainda mais as margens dessas plantas”, acrescentou.

O ministério disse que recebeu em 25 de outubro um pedido de revisão de validade das medidas antidumping apresentado pela Associação de Bebidas Alcoólicas da China em nome da indústria de grãos de destilaria de milho seco da China.

As tarifas da China sobre DDGS dos EUA foram implementadas pela primeira vez em 2016 a uma taxa de 33,8%, e suas importações do ingrediente alimentar caíram acentuadamente.

As tarifas antidumping foram elevadas ao nível atual de 42,2% a 53,7% em janeiro de 2017, enquanto as tarifas anti-subsídios foram elevadas para 11,2% a 12%, de 10,0% a 10,7%.

Última atualização por André Luiz - 11/01/2022 - 16:09

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto