Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Cielo reduz perdas após Caffarelli reafirmar agressividade para retomar mercado

29/01/2019 - 11:56

Cielo

Por Investing.com – A desconfiança do mercado após mais um resultado trimestral fraco da Cielo (CIEL3) perdeu força na manhã desta terça-feira (29) após teleconferência de executivos da empresa com analistas para análise do balanço mensal.

+ Veja aqui quais são as pequenas gigantes da Bolsa que podem te ajudar a transformar centavos em milhões

A Cielo abriu o pregão com fortes perdas que levaram a ação a R$ 10,26, queda de 5,8% às 10h05. O papel se recuperou e opera no terreno negativo com recuo de 1% a R$ 10,80.

Depois de afundar 58% no pior desempenho da Bovespa em 2018, o mercado voltou a acreditar na empresa e o ativo subiu 21% neste ano.

O resultado do quatro trimestre apresentado ontem à noite após o fechamento do mercado mostrou que a empresa vai sacrificar margens para retomar parcela do mercado perdida para os concorrentes.

“Para virar esse jogo, estamos optando por ter mais market share e isso traz redução de margens”, disse o novo presidente da empresa, Paulo Caffarelli,

Segundo o executivo, a Cielo prevê queda de 30% no lucro em 2019 como parte da estratégia agressiva de oferecer descontos e investir em marketing para incentivar pontos de vendas a adotarem as máquinas da adquirente.

guidance é de lucro de R$ 2,3 bilhões a R$ 2,6 bilhões neste ano, frente a R$ 3,3 bilhões em 2018.

No quarto trimestre de 2018, a empresa apurou lucro de R$ 724,1 milhões, queda de 30,6% frente a igual período do ano anterior, ou R$ 0,27 por ação. O Ebitda ficou em R$ 1,09 bilhão e a receita totalizou R$ 3,01 bilhões. O resultado veio abaixo das estimativas do mercado.

A base instalada da Cielo subiu 9,7% no trimestre, com avanço no setor de micro e pequenas empresas, especialmente pela estratégia agressiva de venda de máquinas para combater a forte concorrência. A estratégia, entretanto, pesou sobre as margens, com yield da receita em 0,96%, contra 1,02% no mesmo trimestre de 2017 e 1,19% em 2016. A base instalada, no total, chega a 1,8 milhão de unidades.

Dividendos

A empresa também anunciou ontem a distribuição de R$ 709,5 milhões em dividendos referentes ao quarto trimestre. Cada acionista no Brasil e detentor das ADRs negociadas em NY receberá R$ 0,26139975321 por ação que mantiver em carteira no fechamento do pregão do dia 22 de fevereiro e o pagamento está marcado para 11 de março. O valor ainda poderá sofrer ajustes.

O dividendo representa um rendimento (yield) de 2,4% em relação aos R$ 10,89 do fechamento do papel nesta segunda-feira.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: , ,

Última atualização por Bruno Andrade - 29/01/2019 - 11:56

Cotações Crypto
Pela Web