Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Cinco anos depois da estreia na carne bovina BR, China pode comprar 802% a mais em 2020

30/09/2020 - 12:15
China Carnes
Compras chinesas de carne bovina tende a bater marca sem precedentes (Imagem: REUTERS/Fang Nanlin)

Ao bater a marca de 850 mil toneladas de carne bovina para a China continental, neste ano, como se mostra a evolução dos números até o momento (530 mil/t), o Brasil terá acrescentado um ganho de 802% nos embarques em cinco anos.

A estreia nesse mercado líder foi apenas em 2015, não considerando o cantão semiautônomo de Hong Kong.

Em estudo da consultoria Agrifatto, que reproduz a série histórica das exportações brasileiras, o país assumiu a segunda posição no ranking em 2018, atrás de Hong Kong, e saltou para a ponta o ano passado. Comprou 497 mil/t, o dobro da ilha.

Se chegar ao estimado para 2020, a alta das exportações será de 71% sobre 2019.

O trabalho da equipe da Agrifatto, à disposição nas redes sociais da consultoria, mostra ainda o deslocamento dos principais destinos da carne de boi do Brasil.

Num resumo apenas de 2001 para cá, vemos o Chile em primeiro lugar, nesse ano, com 35,7 mil/t, seguido da Holanda – entreposto europeu de distribuição – com 26 mil/t, e Itália, rubricando 21 mil/t.

Hong Kong surgia em sétimo lugar: 11,6 mil/t na virada do século 21.

Em 2004, a Rússia passa a liderar o ranking dos importadores e a ilha chinesa sobe para o segundo posto.

Os russos mantêm a ponta como principal ponto internacional até 2015 aproximadamente – caindo vertiginosamente nos anos posteriores – e Hong Kong vai para o topo, até a virada do continente.

O Egito reforçou sua participação, nos últimos anos, em terceiro lugar.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Giovanni Lorenzon - 30/09/2020 - 12:25