Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

CMN reduz juros de fundos constitucionais

25/06/2020 - 20:59
Ministério da Economia
As novas taxas vigorarão para a próxima safra, de julho deste ano a junho do próximo ano (Imagem: Marcello Casal JrAgência Brasil)

A redução da taxa Selic – juros básicos da economia – para o menor nível da história levou o Conselho Monetário Nacional (CMN) a diminuir os juros dos fundos constitucionais.

As novas taxas vigorarão para a próxima safra, de julho deste ano a junho do próximo ano. Os juros cairão, em média, 1 ponto percentual, mas a redução, em algumas linhas, chegou a quase 3 pontos.

Para o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), as taxas prefixadas, que estavam entre 5,21% e 8% ao ano, dependendo da renda do mutuário e do tipo de atividade incentivada, ficarão entre 4,3% e 5,78% ao ano.

Os juros do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), que variavam de 4,88% a 6,56% ao ano, caíram para um intervalo entre 4,14% e 5,05% ao ano. Para o Fundo Constitucional do Norte (FNO), que cobrava de 4,92% a 6,74% ao ano, os juros passarão para uma faixa entre 4,13% e 5,03% ao ano.

Desde 2018, as taxas dos fundos constitucionais e de desenvolvimento seguem uma nova metodologia. Os encargos levam em conta a Taxa de Longo Prazo (TLP), composta pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e por uma taxa de juros real prefixada, mensalmente, de acordo com o equivalente ao rendimento real das Notas do Tesouro Nacional – Série B (NTN-B) no prazo de cinco anos.

Formados por 1% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), os fundos constitucionais têm como objetivo fomentar projetos nas regiões menos desenvolvidas do país.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Última atualização por Renan Dantas - 25/06/2020 - 20:59