Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Coinbase afirma ter evitado que usuários enviassem US$ 280 mil a hackers do Twitter

20/07/2020 - 10:45
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Apesar da medida da Coinbase, seus 14 clientes ainda foram vítimas da fraude e enviaram cerca de US$ 3 mil em bitcoin aos hackers antes de a corretora ter bloqueado esses endereços (Imagem: Freepik/macrovector)

A corretora de criptoativos Coinbase afirmou ter evitado pouco que pouco acima de mil usuários enviassem bitcoin aos hackers do Twitter que invadiram grandes contas para propagar uma fraude de bitcoin na semana passada.

Se a Coinbase não tivesse tomado tal medida, esses clientes teriam enviado 30,4 BTC (equivalentes a US$ 278 mil) aos hackers, disse Philip Martin, diretor de segurança da informação da corretora, à Forbes.

Assim, essa quantia teria sido mais do que o dobro da quantia que os hackers conseguiram coletar (US$ 121 mil).

Apesar da medida da Coinbase, seus 14 clientes ainda foram vítimas da fraude e enviaram cerca de US$ 3 mil em bitcoin aos hackers antes de a corretora ter bloqueado esses endereços, afirmou Martin.

Usuários da Gemini, Kraken e Binance também tentaram enviar bitcoins aos endereços, mas não tanto quanto os clientes da Coinbase, segundo o artigo. Todas essas corretoras se apressaram para bloquear os endereços assim que a fraude veio à tona.

O grande ataque aconteceu na última quarta-feira (15) no Twitter, em que 130 contas foram invadidas, incluindo as de grandes personalidades, como Barack Obama, Bill Gates e Elon Musk.

Serviços de mixers, ferramentas que misturam valores falsos e reais para o roubo de criptomoedas sem que a origem do remetente e do destinatário seja descoberta, foram amplamente utilizados no recente ataque ao Twitter (Imagem: Freepik/macrovector)

Seguindo o bitcoin

De acordo com empresas de análise em blockchain, alguns dos bitcoins roubados foram movidos para algumas corretoras e mixers de bitcoin como Wasabi Wallet.

Serviços de mixers são ferramentas que misturam valores falsos e reais para o roubo de criptomoedas sem que a origem do remetente e do destinatário seja descoberta.

“Podemos ver pequenas quantidades sendo movimentadas para corretoras de criptoativos reguladas e conhecidas”, disse Tom Robinson, cofundador e cientista-chefe da Elliptic, ao The Block.

Ele se negou a informar o nome das corretoras por questões de confidencialidade. Em seguida, ele disse que 2,89 BTC, ou 22% da quantia total, também foi enviada à Wasabi Wallet para propósitos de mixing.

Whitestream, outra empresa de análise em blockchain, contou que pelo menos um dos endereços dos hackers interagiu com pelo menos três plataformas cripto.

“Podemos entender que um endereço interagiu com endereços relacionados a diversos processadores de pagamento cripto — CoinPayments, Coinbase e BitPay”, disse Itsik Levy, cofundador e CEO da Whitestream, ao The Block.

Um porta-voz da BitPay confirmou que “a BitPay confirma uma aquisição que aconteceu em um de seus distribuidores na quantia de US$ 25 em maio de 2020 de um dos endereços dos hackers do Twitter. Como parte do processo-padrão da BitPay, detalhes disponíveis estão sendo compartilhados com as partes apropriadas, incluindo agentes policiais”.

Blockchain Intelligence Group, por outro lado, disse que alguns dos bitcoins roubados também foram enviados à Binance.

Um porta-voz da Binance confirmou que “uma pequena quantia de BTC (equivalente a US$ 10) foi enviado a um endereço de carteira da Binance. Parece que eles [os hackers] fizeram isso para confundir pesquisadores em blockchain”.

Segundo o The Block Research, Kraken e WazirX, corretora cripto indiana adquirida pela Binance, também receberam uma parte dos bitcoins roubados.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
theblockcrypto.com © 2020 - The Block Crypto, Inc. All rights reserved. Todos os direitos reservados.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 20/07/2020 - 10:45