Com inflação a 50%, Argentina agora transfere alta dos preços da carne ao mundo

19/05/2021 - 17:53
Marfrig-Carnes
O governo argentino proibiu as vendas de carne bovina ao exterior pelos próximos 30 dias (Imagem: Facebook/Marfrig)

A medida da Argentina de vetar as exportações de carne bovina com o objetivo de segurar a inflação deve elevar os preços globais da proteína.

O governo argentino proibiu as vendas de carne bovina ao exterior pelos próximos 30 dias, pois a inflação no país se aproxima de 50% ao ano. Mas seu maior cliente, a China, ainda precisa comprar grandes quantidades de carne bovina dos mercados mundiais.

O vácuo deixado pela Argentina é grande, já que o país é responsável por 22% das importações de carne bovina da China, perdendo apenas para o Brasil.

“Fechar o segundo fornecedor da China por um mês aumentará os preços globalmente”, disse Brett Stuart, cofundador da consultoria Global AgriTrends.

A decisão da Argentina vem na esteira dos problemas causados no comércio mundial de carne no início da pandemia, quando ondas de Covid-19 levaram ao fechamento de unidades de abate. Os preços sobem com a recuperação da economia global, o que estimula a demanda. Além disso, o clima seco eleva os preços dos grãos usados em rações aos maiores níveis em oito anos.

BRF JBS
Medida deve sustentar os preços internacionais da carne bovina e aumentar os ganhos de frigoríficos como a JBS (Imagem: REUTERS/Bernadett Szabo)

Produtores dos Estados Unidos e Brasil se preparam para ganhar uma fatia do mercado e aumentar as vendas para a China. O país asiático já é o mercado de crescimento mais rápido para a carne bovina dos EUA, impulsionado por consumidores de classe média que melhoram o padrão de vida e buscam incluir mais proteínas às suas dietas. As ofertas da China por carne bovina do exterior aumentaram por três semanas seguidas, disse Stuart.

O Brasil, maior exportador de carne bovina do mundo, pode aumentar os embarques em maio e na primeira quinzena de junho, disse Felipe Fabbri, analista da Scot Consultoria. Isso deve sustentar os preços internacionais da carne bovina e aumentar os ganhos de frigoríficos como a JBS (JBSS3).

Na primeira quinzena de maio, os preços da carne bovina brasileira para exportação deram um salto de 11% em relação a maio do ano passado. Os futuros do gado em Chicago subiram 1,4% na quinta-feira.

A carne bovina argentina é considerada de alta qualidade e, portanto, não é fácil de substituir. O gado brasileiro tem uma genética diferente, e a oferta de outros grandes produtores, como Austrália e Nova Zelândia, é limitada. Isso deixa os EUA com a maior vantagem para capturar participação de mercado, disse Altin Kalo, analista da Steiner Consulting Goup em Manchester, New Hampshire.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?
Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Gustavo Kahil - 19/05/2021 - 17:53

Cotações Crypto
Pela Web