Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Congresso americano quer respostas sobre envolvimento de DLive e BitTorrent no ataque ao Capitólio

10/02/2021 - 8:26
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Capitolío, Eua
(Imagem: REUTERS/Leah Millis)

Legisladores enviaram uma carta aos executivos das plataformas DLive e BitTorrent após o ataque ao Capitólio dos EUA em janeiro, “manifestando preocupação” sobre a forma como usuários utilizaram a plataforma para incitar a violência.

BitTorrent, um protocolo de compartilhamento de arquivos de ponto a ponto, adquiriu DLive em outubro de 2020. A plataforma de vídeos desenvolvida em blockchain é conhecida por ser mais tolerante a restrições de conteúdo em comparação a plataformas adversárias, como o YouTube.

Diversos comentadores de direita, presentes no evento de 6 de janeiro, têm seguidores na plataforma DLive e receberam o token da BitTorrent (BTT) por conteúdos relacionados ao ataque ao Capitólio.

Membros do Comitê de Seleção Permanente de Inteligência da Câmara dos EUA alegam que seu conteúdo incentivou ações extremistas.

Abrão Filho aumenta 135% sua receita em 2021

A carta do comitê, enviada a Justin Sun, CEO da BitTorrent, e Charles Wayn, CEO da DLive, afirma que a DLive não está fazendo o suficiente para combater o extremismo em sua plataforma.

“Como membros do Comitê de Seleção Permanente de Inteligência, nossa preocupação é que plataformas on-line, como DLive, estão sendo utilizadas para promover opiniões extremistas que incitam conflitos e violência off-line”, explicou a carta.

DLive disse que, desde então, removeu essas contas e restringiu o uso do BTT para conteúdo “não relacionado a jogos”.

Porém, legisladores dizem que o conteúdo de jogos também é uma ameaça, pois o Southern Poverty Law Center afirmou que também é bem influente em converter jovens a realizarem possíveis ações extremistas.

Como consequência, legisladores exigem informações da DLive e BitTorrent. Essas perguntas incluem informações sobre sua estratégia em combater o extremismo e mais detalhes sobre o uso de seu token.

O congresso questiona se existe algum mecanismo implementado para identificar doações estrangeiras em blockchain e se essas doações feitas estão relacionadas aos acontecimentos do dia 6 de janeiro.

A Chainalysis já identificou uma doação estrangeira em bitcoin aos comentadores de extrema direita presentes no Capitólio.

DLive apresentou novas regras para limitar o extremismo on-line em sua plataforma, mas o Congresso quer saber quão efetivas essas regras são, segundo a carta.

“Trabalhamos com outras plataformas, como o Facebook, Twitter e YouTube, para reformar suas práticas de governança sobre conteúdos extremistas e esse trabalho é contínuo”, afirmou a carta.

“Mas ficou evidente que DLive está bem atrasada em relação às outras na governança de plataforma e precisa tomar sérias ações reformadoras.”

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
theblockcrypto.com © 2020 - The Block Crypto, Inc. All rights reserved. Todos os direitos reservados.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 10/02/2021 - 8:26

Pela Web