Conteúdo Ripio

Como uma empresa séria pode te ajudar quando for investir em bitcoin?

A desconfiança dos investidores sobre o mercado cripto pode ser associada à dificuldade de identificar se uma empresa é séria

Há pouco mais de uma década, o bitcoin apareceu para o mercado com a proposta ambiciosa de mudar a dinâmica das transações no mundo digital. Não demorou muito para que a moeda virtual começasse a ganhar popularidade e relevância no mundo dos investimentos, preparando o terreno para que outras criptomoedas descentralizadas surgissem.

Apesar da expansão, o mercado cripto ainda sofre com um problema antigo que continua afastando potenciais investidores: a dificuldade de identificar se uma empresa é séria ou não.

Você tem medo de investir em bitcoins? Não é incomum encontrar quem já mostrou interesse no mercado, avaliou entrar, mas voltou atrás depois de ver notícias sobre invasão e esquemas de pirâmide envolvendo criptoativos. Até mesmo grandes nomes dentro e fora do setor tiveram suas identidades usadas por fraudadores.

Diferentemente do “ambiente caótico” pintado pela mídia, o mercado cripto está longe de ser uma “terra sem lei”. Existem empresas sérias como a Ripio que sempre seguiram as determinações impostas pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários, além de levarem em consideração as boas práticas internacionais.

Embora essas determinações já funcionassem como uma espécie de autorregulação independente para o setor, a Ripio e mais quatro empresas resolveram juntar forças para trazer mais segurança ao mercado, que carece de um marco regulatório.

Em 13 de agosto de 2020, a Associação Brasileira de Criptoeconomia ABCripto, da qual a Ripio é uma das mantenedoras, deu início a uma nova etapa no setor ao lançar o Código de Autorregulação do mercado cripto. O documento, resultado do pacto firmado entre as empresas associadas da entidade, consiste basicamente em um conjunto de regras para prevenção de delitos financeiros, lavagem de dinheiro e até financiamento do terrorismo.

O Código de Autorregulação se baseia nos princípios de integridade, equidade, respeito, transparência, excelência, sustentabilidade e confiança

Pilares

O código que a Ripio ajudou a desenvolver se baseia nos princípios de integridade, equidade, respeito, transparência, excelência, sustentabilidade e confiança. O conjunto de regras estabelece princípios aplicáveis a todas as empresas que atuam com custódia, intermediação e corretagem de criptoativos.

Pautado nos fundamentos da livre concorrência, da confidencialidade e da prevenção a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção, o documento contribui para equilibrar as informações disponíveis no mercado e evitar o mau uso delas.

Impacto na vida do investidor

Um dos principais objetivos da Ripio ao colaborar com a autorregulação do mercado é garantir que você, investidor, se sinta seguro para aplicar seu dinheiro em criptomoedas. Isso porque o Código de Autorregulação coloca em evidência empresas com visão de longo prazo, preocupadas em promover práticas confiáveis e sustentáveis no setor cripto brasileiro. Assim, fica bem mais fácil para qualquer pessoa se prevenir contra as práticas duvidosas e pensar em dar uma chance ao universo das moedas virtuais.

Está na hora de perder o medo. Diversifique sua carteira com bitcoin. Clique aqui para conhecer o Launchpad da Ripio e saber mais sobre o Código de Autorregulação que te ajudará a identificar as empresas sérias do mercado.