MT Labs

Dividendos de 11,5% em 12 meses: HGCR11 é aposta de analista para o mês de julho

10 jul 2024, 10:00 - atualizado em 10 jul 2024, 9:15
fiis fundos imobiliários dividendos selic
(Imagem: Canva / Montagem: Bruna Martins)

Quer investir em fundos imobiliários (FIIs)? É uma boa ideia, já que eles podem gerar uma renda mensal com dividendos e são isentos de Imposto de Renda para pessoa física. 

Porém, se for para escolher apenas alguns deles para investir nesse momento, é bom ficar de olho especialmente nos fundos de crédito, por dois motivos:

  1. Oferecem um nível de volatilidade menor se comparados aos fundos de tijolos, dada a sua composição de títulos de renda fixa atrelados ao mercado imobiliário; 

 

  1. No cenário de juros atual, são capazes de entregar um retorno um pouco maior do que a média dos fundos de tijolo. Afinal, enquanto os fundos de crédito se beneficiam de juros mais altos, os de tijolos são mais sensíveis aos juros e podem ser penalizados pelo desempenho da bolsa. 

Quem afirma isso é o analista da Empiricus Research Caio Araujo. Ele é responsável pela Top Picks, carteira mensal de investimentos em FIIs, que apresenta dividend yield médio de 10,6%.

Caso tenha interesse em conhecer cada um dos fundos recomendados na carteira, basta clicar aqui ou no botão abaixo. O conteúdo é gratuito. 

LIBERE SEU ACESSO À CARTEIRA TOP PICKS AQUI 

Caso não, há um fundo de crédito presente no portfólio que você não vai se arrepender de conhecer: 

Dividendo de 11,5% em 12 meses: conheça o fundo de crédito imobiliário HGCR11

“Para o curto prazo, o segmento dos FIIs de crédito oferecem um potencial de geração de renda interessante, aliado a um nível de risco mais apropriado para o cenário”, explica o analista. 

Nesse caso, uma das recomendações de Caio Araujo para buscar renda extra com fundos imobiliários é o CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11). 

Este fundo de crédito imobiliário possui maior exposição ao IPCA, que representa 73% dos CRIs (Certificado de Recebíveis Imobiliários), e uma parcela relevante de 27% da carteira atrelada ao CDI.

“Desse modo, em termos de crédito, encontramos taxas bem atrativas de IPCA + 7,8% e CDI + 3,5% ao ano, respectivamente”, afirma o analista. 

Apesar de ser negociado com prêmio em relação ao valor patrimonial, o HGCR11 apresenta um dos maiores yields anualizados entre os seus pares, atualmente em 11%.

Além disso, nos últimos 12 meses, HGCR11 já entregou 11,5% de dividendos para seus investidores. E não deve parar por aí, de acordo com as projeções de Araujo. 

O analista identificou uma TIR líquida de 3 anos de 10,4%, aliada a uma geração de renda de 10,6% para o próximo ano. 

Ou seja, quem investir nesse FII tem chances de gerar renda extra por um bom tempo. 

E, se você quiser buscar ganhos nesse mercado, você também pode gostar dos outros 4 fundos imobiliários indicados por Caio Araujo na Top Picks (veja quais)

VEJA FIIs PARA BUSCAR GANHOS NO SEGUNDO SEMESTRE 

Além de HGCR11: confira os melhores FIIs para ficar de olho em julho e receba indicações mensais

Desde a criação da Top Picks, em novembro do ano passado, a carteira rendeu 8,9%, ou 145,7% do Ifix (principal índice de FIIs brasileiro) no período. 

Além disso, considerando o último provento pago por cada fundo (anualizado), o seu dividend yield médio é de 10,6%

E o melhor: você pode conhecer todas as recomendações da carteira que tem superado o Ifix sem pagar nada por isso. 

A Empiricus Research, maior casa de análise independente do Brasil e uma das empresas do grupo BTG Pactual, libera mensalmente a Top Picks como cortesia para o público em geral.

Seu objetivo é democratizar o acesso à informação de qualidade ao investidor pessoa física, assim aumentando sua chance de lucros no mercado financeiro. 

Para conferir, basta clicar no botão abaixo e informar o seu melhor contato: 

CONFIRA TODAS AS RECOMENDAÇÕES DA TOP PICKS

Redatora do Money Times
Jornalista formada pela Universidade de São Paulo (ECA-USP) e redatora para os portais Seu Dinheiro e Money Times
Jornalista formada pela Universidade de São Paulo (ECA-USP) e redatora para os portais Seu Dinheiro e Money Times