MT Labs

‘Não é hora de se deixar levar pela euforia e comprar qualquer porcaria’: veja quais ações podem disparar em dezembro, segundo analista

05 dez 2023, 7:00 - atualizado em 04 dez 2023, 11:20
acoes dezembro ibovespa
Estrategista-chefe da Empiricus Research acredita que os brasileiros ainda estão ‘muito distantes’ da Bolsa, mesmo em meio ao rali de final de ano (Imagem: Canva)

Depois de meses de um certo “marasmo”, a Bolsa brasileira finalmente reagiu em novembro. Para a alegria de todos que esperavam pelo tão falado rali de fim de ano, o Ibovespa saltou impressionantes 12,54% – o que fez, inclusive, novembro ser o melhor mês para a Bolsa em três anos, fechando aos 127.331 pontos. Nada mal. 

Muito desse “respiro aliviado” veio dos sinais de trégua emitidos pela inflação nos Estados Unidos. Embora o Federal Reserve, o banco central norte-americano, ainda mantenha um tom cauteloso, a expectativa agora é de que não haja novas altas de juros no atual ciclo de aperto monetário.

Inclusive, boa parte do mercado aposta que o Fed possa começar a cortar as taxas já no primeiro semestre de 2024

É claro que isso tudo anima os investidores, especialmente aqueles que mantêm ativos de risco na carteira – como ações da Bolsa brasileira. Mas não é hora de se deixar levar pela euforia

É isso que disse recentemente Felipe Miranda, o estrategista-chefe e co-fundador da Empiricus Research. Segundo ele, é hora de lembrar que “isso aqui não é festa do caqui” e tomar cuidado para não sair comprando qualquer coisa. O momento é para ter estratégia e saber investir nos ativos que realmente têm potencial de decolar ainda mais nos próximos meses e, claro, sem abrir mão da segurança.

[GRATUITO] VEJA 10 AÇÕES QUE PODEM DECOLAR AINDA MAIS NA BOLSA EM DEZEMBRO

‘Os brasileiros ainda estão subalocados na Bolsa’

A retomada triunfal do Ibovespa em novembro tem boa parte de “culpa” vinda lá de fora. Isso porque os gringos vieram “com força” e, no total, a entrada de dinheiro estrangeiro na Bolsa brasileira superou os R$ 21 bilhões no mês.

Para se ter uma ideia, a “debandada” nos meses anteriores havia sido tão grande que, em outubro, o fluxo de dinheiro estrangeiro na B3 foi negativo em R$ 2,8 bilhões. Em setembro, o saldo havia sido de R$ 1,6 bilhão negativo. 

Especialistas avaliam que, com a perspectiva de uma estabilização da inflação nos Estados Unidos, muitos investidores estrangeiros começaram a procurar por ativos disponíveis em países de juros mais altos, como é o caso do Brasil. 

Mas, além da questão externa, Felipe Miranda destaca que a Bolsa brasileira ainda pode se beneficiar, e muito, do ciclo de queda de juros.

Vale lembrar que, recentemente, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, projetou a possibilidade de uma Selic a 11,25% ao ano já em janeiro (1 ponto percentual abaixo da taxa atual). 

Além disso, historicamente, o mercado subestima os ciclos de afrouxamento monetário – ou seja, a Selic costuma terminar mais baixa do que as projeções sugerem no início do ciclo de corte (uma subestimação de 1,5 ponto percentual, na média dos últimos sete ciclos).

Segundo o último Boletim Focus, a previsão é de que a Selic chegue aos 9,25% ao ano, até o fim de 2024, e aos 8,50% ao ano em 2025.

Apesar de tudo isso, na visão do estrategista, “os brasileiros ainda estão muito afastados da Bolsa”. Para ele, os investidores pessoa física e pessoa jurídica daqui estão subalocados em ações, e potencialmente deixando de lado a chance de realizar lucros interessantes com a valorização de alguns papéis nos próximos meses. 

“Eu estava muito animado com a hipótese de um rali de final de ano, e realmente ele está acontecendo. Mas eu também estou vendo certos sinais de euforia, gente achando que a Bolsa vai subir todo dia, ou que vai continuar subindo pra sempre só porque valorizou 12% em novembro…”

Na opinião dele, seria natural alguma pausa para “respirar”. E, quando isso acontecer, não deve ser motivo de desespero. 

E, mais importante ainda: não é hora de se animar excessivamente com o bom ciclo do Ibovespa e sair comprando “qualquer porcaria”, nas palavras dele. É preciso saber identificar os papéis que, mesmo com a alta já ocorrida nas últimas semanas, têm potencial de decolar ainda mais e gerar lucros para o investidor. 

VEJA 10 AÇÕES QUE PODEM DECOLAR A PARTIR DE DEZEMBRO

Essas são as ações com maior potencial de gerar lucros em dezembro

Existe uma lista de dez ações brasileiras que, na visão da Empiricus Research, são as melhores para o investidor ter na carteira agora em dezembro.

A analista Larissa Quaresma, que integra a casa de análise junto com Felipe, atualizou recentemente a Carteira 10 Ideias: uma seleção de 10 ações que, segundo os estudos da casa, têm o maior potencial de proteger o patrimônio investido e, ao mesmo tempo, gerar ganho de capital

A carteira é formada por empresas com capacidade de execução comprovada, governança sadia e que encontram-se com preços atrativos na Bolsa. Essa carteira é atualizada mensalmente, com o objetivo de buscar aproveitar as janelas de oportunidades disponíveis. 

E o melhor: o acesso à carteira é de graça.

Para dezembro, a analista acredita no potencial de empresas do setor de varejo se destacarem, já que elas tendem a se beneficiar de eventos como a Black Friday e o Natal. Por isso, algumas ações do setor ganharam maior participação na carteira.

Para saber quais são as 10 ações mais promissoras para dezembro, você não precisa pagar nada. A Empiricus Research liberou o acesso gratuito ao relatório, com o intuito de ajudar os brasileiros a fazerem as melhores escolhas para seus investimentos nesta reta final de 2023.

Clique no botão abaixo e conheça de graça as 10 ações que podem decolar ainda mais em dezembro:

[GRATUITO] ACESSE A CARTEIRA 10 IDEIAS AQUI