Conteúdo Empiricus

Uma “máquina de fazer dinheiro” onde o principal ativo é o engajamento – Saiba como alcançar uma renda de mais de R $116 mil por mês com essa rede social

O “social commerce” está dominando o mercado. Aqueles que agarraram essa oportunidade lá atrás, atualmente vivem com uma excelente renda. E o melhor de tudo: esse mercado ainda tem muito espaço para qualquer um crescer – desde que se prepare para isso.

(Imagem: pikisuperstar / Freepik)

Um novo mercado está crescendo e evoluindo rapidamente: o “social commerce”. O fato é que o alcance proporcionado pelas redes sociais é gigantesco – isso não pode ser ignorado. Assim, cada vez mais as grandes marcas procuram influenciadores ao invés de investir em tempo de televisão ou em outras mídias para vender seus produtos e serviços. 

Sobretudo, os jovens da geração Z mergulharam de cabeça nessa oportunidade e estão fazendo dinheiro. Vemos muitos cases de sucesso conduzidos por pessoas dessa faixa etária. Mas para quem não nasceu com um tablet na mão, vou explicar como ganhar muito dinheiro nesse mercado.

Nas redes sociais, o ativo com maior retorno é o engajamento. Aqueles que conseguem movimentar seus perfis atraem marcas, clientes e investidores. 

Há inúmeras oportunidades, porém muitas pessoas ainda continuam céticas em relação ao potencial de monetização e de ganhos nas redes sociais. 

Existe, sim, uma chance de ganhar dinheiro, mas para isso não tem fórmula mágica, é preciso preparo: saber realmente o que fazer nesse mercado de “social commerce”

As redes sociais e as plataformas digitais de comunicação se tornaram indispensáveis na vida de qualquer ser humano. E aqueles que se dedicam a aprender novas estratégias de vendas nesses ambientes, lucram horrores. Embora existam muitos “falsos gurus” por aí, também há muitos profissionais que sabem o que fazem.

A dica que eu vou dar mais abaixo é o método Caixa Preta. Trata-se de um método eficiente idealizado por Amanda Holzer e Bettina Rudolph, e tem como principal objetivo ganhar dinheiro com Instagram.

Por que elas são as mulheres certas para ensinarem sobre o assunto? Amanda Holzer é a Head de marketing da Empiricus, é ela quem gerencia as redes sociais ligadas à empresa. Bettina Rudolph hoje atua como influenciadora e gera uma renda de mais de R$ 100 mil por mês em seu Instagram.

Investir em um perfil no Instagram pode trazer retornos extraordinários

O Instagram é uma rede social que se reinventou. Deixou de ser uma simples “plataforma de fotos” e ganhou muitas funcionalidades, tornando-se extremamente atrativa. Hoje, o Brasil é um dos principais países em número de usuários. 

Segundo a pesquisa Social Commerce, realizada pela All iN | Social Miner em parceria com a Etus e a Opinion Box, 86% dos brasileiros têm o hábito do consumo online. 

O Instagram é o queridinho por quem usa as redes sociais para pesquisar produtos (62%), seguido pelo Facebook (61%), Google Shopping (61%) e WhatsApp (37%).

A oportunidade de ganhar dinheiro nessa plataforma é real. Diria até que quem não tem seu negócio nas redes está perdendo dinheiro. O mundo está mudando e é preciso mudar com ele para não ficar para trás.

O motivo da mudança é a facilidade que a tecnologia e a comunicação embutida nas redes sociais trazem ao consumidor. Veja mais razões do crescimento desse meio de acordo com a mesma pesquisa anteriormente citada:

A empresa mLabs, plataforma de gerenciamento de mídias sociais, também realizou uma pesquisa sobre engajamento no Instagram.

A pesquisa apurou que o feed (página inicial) do Instagram apresentou uma taxa de engajamento de 9,30% no último trimestre de 2020, um número 7,29% maior do que no primeiro trimestre do mesmo ano. O engajamento na plataforma quadruplicou!

Um ponto importante a ser exaltado é que, na maioria dos setores, os perfis menores, ou seja, de até 10 mil seguidores, engajaram mais. São os microinfluenciadores

Mas como ganhar dinheiro com isso?

 

Vou explicar para você como funciona esse mercado. Depois quero oferecer dicas incríveis para se posicionar da maneira correta, e investir nesse meio social e digital. Vamos lá.

De maneira bem resumida, existem duas maneiras de fazer dinheiro no Instagram:

  • Ser pago por uma marca para divulga-lá em seu perfil
  • Divulgar a sua própria marca e captar um número expressivo de clientes 

Na primeira opção a renda vem de patrocínios fechados entre você e uma marca. Naturalmente, o preço é determinado pela demanda do mercado. Quanto maior o engajamento seu perfil alcançar, mais você pode cobrar a cada publicação ou “stories”.

Nessa situação, o próprio Instagram também oferece uma remuneração fixa de acordo com a quantidade de público que você atrai. Segundo o Instagram, o pagamento é de 100% e direto ao criador de conteúdo, diferente de outras plataformas que ficam com até 30% do valor. Essa é a principal fonte de renda, por exemplo, de um influenciador digital.

Na segunda maneira, o perfil já é uma marca sozinho e oferece a opção de venda de produtos na plataforma. Aqui, um bom engajamento atrai mais clientes, e sucessivamente você vende mais.

Em ambos os cenários o maior ativo é o engajamento. Quanto melhor ele for, mais renda poderá atrair. A dica que eu vou dar tem enfoque justamente nessa parte crucial. O método Caixa Preta ensina técnicas para que o seu perfil atraia o maior número de visitantes possível

Ele já foi aplicado em mais de 10 perfis que atualmente somam mais de 1 milhão de seguidores e R$ 10 milhões em vendas nos últimos 12 meses. Revelo aqui que o próprio Instagram da Bettina chega a faturar hoje em dia mais de R$ 300 mil em alguns meses depois de usar esse método.

QUERO APRENDER A GANHAR DINHEIRO COM O INSTAGRAM

Os resultados comprovam a eficácia

Esse mercado chamado de “social commerce” é algo muito novo e tem um imenso potencial. A prova disso está nos resultados, e nas movimentações empreendedoras que o cercam.

Vejamos:

Vamos levar em conta os números reais. O instagram paga por publicação 1 centavo por seguidor, e a cada clique no link dos “stories” paga R$0,80 centavos. Agora imagine que um influenciador digital com 1 milhão de seguidores, posta 15 fotos com patrocínio e 15 campanhas nos “stories”.

A publicação pode gerar uma média de R$ 10 mil, portanto a receita seria de R$150 mil naquele mês. Na campanha dos “stories”, vamos contar que a média de visualizações fosse de apenas 5% e que somente 5% dessa audiência clicasse no link. Isso significaria uma receita de R$30 mil.

No total daquele mês, o influenciador gerou uma receita de R$180 mil. É uma renda enorme, e muitos já estão percebendo isso: 

Atualmente estão surgindo inúmeros produtos utilizados para engajar essa prática. Grandes marcas já utilizam das redes sociais ou de influenciadores digitais para se promover. Entre os diversos produtos, existem empresas que conectam uma marca a um influenciador digital, como a “Socializers”, e recebem comissão por isso. Esse tipo de serviço facilita os ganhos para ambas as partes.

Essa empresa percebeu o potencial do marketing de venda nesse meio e trabalha como uma ponte entre vendedor e produto, ou influenciador social, e a marca. Os principais players do mercado como a Amazon, ou a Coca-Cola já estão se promovendo nesse meio.

O motivo disso é porque elas já entenderam que existem diversas maneiras de fazer dinheiro com redes sociais, basta conhecer o método certo.

QUERO APRENDER A LUCRAR COM REDES SOCIAIS

A Geração Z já se ligou e tem lucrado muito!

Enquanto existem céticos sobre o potencial do Instagram, muitas pessoas que cresceram nesse meio começaram a lucrar cedo. Olhe bem, não estou falando de casos absurdos ou de perfis com mais de 500 mil seguidores. Agora vamos colocar os pés no chão e falar de casos mais “reais”.

 

Vejamos exemplos práticos:

Carol Vaz, tem 19 anos e começou a trabalhar com a criação de vídeos de entretenimento para jovens durante a pandemia, em 2020. Hoje ela tem 62,2 mil seguidores no Instagram e costuma cobrar em média R$ 150 a cada “stories” patrocinado.

“Eu não tenho um público que compra. Eles me seguem pelo conteúdo que faço, mas não tenho um produto para oferecer. Basicamente o produto sou eu.”

Ela comenta que o próprio Instagram também paga um preço fixo para que ela faça “lives”, ou seja, vídeos ao vivo. Para que o perfil possa receber essa remuneração estabelecida pela plataforma, ele deve possuir um mínimo de 10 mil seguidores.

São US$ 100 na primeira “live” e US$ 150 por uma “live” de 30 minutos. Além disso, recentemente entrou em vigor a remuneração de mais US$ 250 por mês ao atingir uma frequência de uma live a cada semana.

Ela está ganhando força no Instagram e, hoje, seus recebimentos variam de R$ 1.900 a R$ 4.000 por mês. Mas segundo ela mesma diz, pode ir mais longe. 

Por exemplo, se Carol fechasse patrocínio em apenas dez stories por semana, receberia um retorno de R$  6.000 naquele mês. Esse é um número de “stories” patrocinado bem razoável e próximo da realidade de quem trabalha com isso.

Vamos agora à remuneração do Instagram: imagine que Carol resolveu fazer somente uma “live” na semana, de apenas 30 minutos, contabilizando 4 lives no mês e atingindo a frequência proposta pela plataforma. São US $400 ou R $2.046,52.

Colocando na ponta do lápis, Carol teria um retorno total, exclusivamente no Instagram, de R$ 8.046,52 com 62,2 mil seguidores e 19 anos.

Seu estilo de conteúdo é chamado de “POV”, ou point of view. São vídeos de entretenimento em que narra histórias fictícias enquanto interage com o espectador, de forma a colocar ele em primeira pessoa. Seu público-alvo são em grande maioria jovens de 11 a 17 anos.

Importante frisar que o Instagram não é a rede social foco de Carol. Ela começou monetizando no Tik Tok, rede social de vídeos, onde possui 1,5 milhão de seguidores. É lá onde ainda obtém a maior parte da sua renda.

Não é sorte, ela teve visão. Carol entendeu que a plataforma pode ser monetizada de acordo com o engajamento do público e aproveitou: O que faz diferença, de verdade, não é a quantidade de seguidores. É o engajamento.”

Ela conta que sua maquiadora tem apenas 38 mil seguidores. Entretanto tem o público engajado, ou seja, que consomem, e por isso consegue cobrar cerca de R$ 1.000 por “stories”.

Fernanda Koiffman, 23 anos, tem uma história um pouco diferente. Ela usa a plataforma para vender seus produtos: designs e artes. Fernanda conta que a maioria de seus clientes vem do Instagram: “Todas as propostas que recebi até hoje foram pelo Instagram”, revelou. A artista conta que já foi contratada para trabalhos de até R$ 2.250. Seu perfil conta com 1.330 seguidores.

Laura Lerner, 20 anos, abriu seu negócio de docerias Eat-Me Brigadeiros. O perfil tem atualmente 861 seguidores, mas os resultados surpreendem.

Ela não pensou duas vezes sobre onde começar a vender: “Na pandemia muitos abriram negócios no Instagram. Eu percebi que tinha muito potencial para crescer e comecei a investir mais na plataforma.” Na páscoa passada, Laura vendeu 180 “ovos”,  obteve uma renda de R$ 10.811,20 e um lucro de R$ 7.483,32. Ela conta que, depois disso, foi capaz de reinvestir em sua marca.

É uma prática extremamente lucrativa, basta saber fazer. A máquina de fazer dinheiro funciona por engajamento, e para que um perfil vá bem no Instagram existem técnicas. Mas nem todos cresceram nesse meio digital ou entendem sobre esse tipo de marketing.

Felizmente, isso não significa estar fora do jogo, a dica que eu trago é um método que pode aperfeiçoar quem já entende do assunto, e ensinar desde o começo para quem está por fora. É a dica perfeita para quem quer alavancar seus negócios ou ganhar dinheiro com produção de conteúdo.

QUERO APRENDER COMO GANHAR DINHEIRO COM INSTAGRAM AGORA

Apresentando o método – Como ganhar dinheiro nas redes sociais?

Agora é a parte em que eu direciono você a se posicionar nesse mercado. Chega de receber “dicas” de charlatões que nunca ganharam dinheiro nas redes sociais. A dica que ofereço agora é um investimento para o seu negócio, seu produto ou até mesmo para quem deseja criar conteúdo e ganhar dinheiro com isso.

Estou falando sobre um curso que pode mudar sua vida, oferecido por uma influencer que entende de Instagram e também de ganhar dinheiro. A Bettina Rudolph, copywriter e sócia da Empiricus, junto com a Amanda Holzer, Head de Marketing e sócia da Vítreo e da Empiricus, estão abrindo o método Caixa Preta.

Investir é a “Aplicação de capitais com finalidade lucrativa”. Quem disse isso não fui eu, foi o pai-dos-burros. O curso oferecido pelas duas tem o objetivo único de auxiliar você a conseguir lucrar com Instagram. O curso é um investimento pessoal e profissional em sua vida e apresenta técnicas exclusivas de quem entende do assunto.

“A Amanda fez meu Instagram faturar mais de R $100 mil por mês” disse Bettina Rudolph. A influencer saiu de uma situação de “meme” na internet e agora fatura não apenas com a Empiricus, mas com publicidade em seu perfil. Ela aderiu ao método e hoje tem mais de 430 mil seguidores em seu perfil. Amanda já aplicou esse método em mais de 10 contas de Instagram que somam mais de 1 milhão de seguidores. É especializada no assunto.

Se a timidez for um problema para você, não tem problema algum. O método ensinado pode ser utilizado mostrando seu rosto ou não. Convido você a dar uma bisbilhotada nos conteúdos gratuitos desse método, que estão no Instagram do curso (@caixapretaometodo). 

Nesse perfil é distribuído conteúdos gratuitos e exclusivos como “lives” onde as duas analisam seu Instagram e dão dicas de melhorias. Também é disponibilizada a transparência da renda gerada no Instagram da própria Bettina.

Aprenda com quem trata o Instagram como um investimento. Elas trabalham com mercado financeiro e redes sociais diariamente, e ganham dinheiro com ambos. Chega de charlatanismo e tenha aulas de “social commerce” e Marketing digital com as melhores da área. 

QUERO GARANTIR MINHA VAGA PARA AS 4 PRIMEIRAS AULAS GRATUITAS

O método completo ainda está por vir. Convido você a investir na sua vida, e garantir uma vaga nesse curso oferecido por profissionais. Clicando nesse link, você pode se inscrever sem compromisso para obter novidades desse método. Ele tem como algumas metas:

  • 10 mil seguidores em poucos dias
  • Primeira venda em até 30 dias
  • R$ 100 mil de faturamento em até 6 meses

Para buscar esses 3 objetivos, basta aplicar as instruções que Amanda Holzer e Bettina Rudolph vão te passar nos 4 encontros gratuitos, entre 9 e 16 de agosto.

Cadastre-se gratuitamente para receber em seu e-mail o acesso aos encontros:

QUERO GARANTIR MINHA VAGA NO CAIXA PRETA