Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Coronavírus deve estagnar PIB global, alerta Capital Economics

10/02/2020 - 7:44
Coronavírus Máscaras Saúde Mercados Ásia
Para economias desenvolvidas, prevê-se retração da economia da Austrália devido à sua dependência da China em gastos de turistas e exportações (Imagem: Reuters/Yuya Shino)

A propagação do coronavírus custará à economia mundial mais de US$ 280 bilhões nos primeiros três meses do ano, pondo fim a uma série de 43 trimestres de expansão global, de acordo com a Capital Economics.

Com base nessas previsões, “o PIB global não crescerá em termos trimestrais pela primeira vez desde 2009”, segundo relatório de autoria de Simon Macadam, economista global da empresa com sede em Londres.

O economista espera que o vírus seja contido e que, durante o resto do ano, “a produção perdida seja compensada nos trimestres subsequentes para que o PIB mundial atinja o nível que teria alcançado caso não haja surto em meados de 2021”.

O número de mortes causadas pelo surto do coronavírus atingiu 910 na segunda-feira, quando o presidente da Organização Mundial da Saúde manifestou preocupação com a propagação da doença entre pessoas sem histórico de viagens para a China.

O vírus paralisou a província chinesa de Hubei, uma potência industrial do tamanho da Suécia, e reduziu as projeções de crescimento global no curto prazo.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

A Capital Economics espera que as consequências na Ásia sejam maiores do que as ocorridas durante o surto da SARS em 2003.

Uma grande queda do número de visitas de turistas chineses e interrupções nas cadeias de suprimentos globais de manufatura afetarão as economias asiáticas emergentes em particular, embora na Índia, Indonésia e Filipinas o impacto seja limitado, uma vez que são menos integradas à China.

Para economias desenvolvidas, Macadam prevê retração da economia da Austrália devido à sua dependência da China em gastos de turistas e exportações.

Última atualização por Lucas Simões - 10/02/2020 - 7:44