Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Crescimento das assinaturas do NYT desacelera após o boom de 2020

05/05/2021 - 11:46
No final de março, o Times tinha mais de 7,8 milhões de assinaturas digitais (Imagem: REUTERS/Brendan McDermid)

O crescimento das assinaturas trimestrais do norte-americano The New York Times foi o mais lento em mais de um ano, após um 2020 movimentado, dominado por histórias sobre as eleições nos Estados Unidos, agitações civis e a crise do coronavírus.

Isso aconteceu apesar dos esforços do Times para aumentar seus produtos digitais, incluindo notícias, jogos, culinária e aplicativos de podcast, que o ajudaram a arrecadar centenas de milhares de assinantes nos últimos anos.

No final de março, o Times tinha mais de 7,8 milhões de assinaturas digitais e impressas – com cerca de 7 milhões de assinaturas apenas digitais, das quais 75% vieram de seu principal produto de notícias.

Seu negócio digital tem sido um farol para outros jornais em uma indústria em dificuldades, devastada pelos gigantes da tecnologia Google e Facebook, que desviaram verbas publicitárias online de portais de notícias e distribuíram artigos informativos sem pagar os meios de produção.

“Em fevereiro e março, nossas audiências diminuíram de suas máximas históricas no ano passado, e vimos menos adições de assinaturas líquidas na última parte do trimestre”, disse o presidente-executivo, Meredith Kopit Levien.

A empresa divulgou nesta quarta-feira que teve 301.000 assinantes digitais novos no primeiro trimestre, o menor ganho desde o terceiro trimestre de 2019.

“Nós esperamos que o crescimento moderado continue durante o segundo trimestre, tradicionalmente o mais fraco do ano.”

A receita de assinatura apenas digital, a maior fonte de receita da empresa, cresceu 38%, para 179,6 milhões de dólares no trimestre. O Times espera que cresça cerca de 30% no segundo trimestre em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A receita cresceu 6,6%, para 473 milhões de dólares, em comparação com a estimativa média dos analistas de 463,3 milhões de dólares, de acordo com dados IBES da Refinitiv.

Excluindo itens, a empresa registrou um lucro de 0,26 dólar por ação, superando as estimativas anteriores de 0,14 dólar.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 05/05/2021 - 11:46

Pela Web