Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Crise na aviação manterá demanda por petróleo em níveis pré-vírus até 2022, diz IEA

16/06/2020 - 14:07
Aviação
A agência elevou a projeção para a demanda por petróleo em 2020 em quase 500 mil bpd (Imagem: REUTERS/Toru Hanai)

A demanda por petróleo tem se recuperado após a maior queda da história, registrada em 2020, disse a Agência Internacional de Energia (IEA) nesta terça-feira, mas uma redução em vôos devido a preocupações com o coronavírus significará que o mundo não retornará aos níveis de demanda pré-pandemia antes de 2022.

“Nossa primeira previsão para 2021 como um todo mostra a demanda crescendo em 5,7 milhões de barris por dia (bpd), para 97,4 milhões de bpd, o que seria 2,4 milhões de bpd abaixo do nível de 2019”, disse a IEA em relatório mensal.

“A redução nas entregas de gasolina de aviação e querosene impactarão a demanda total por petróleo até ao menos 2022…a indústria de aviação está enfrentando uma crise existencial”, disse a IEA, com sede em Paris.

A agência elevou a projeção para a demanda por petróleo em 2020 em quase 500 mil bpd devido a importações mais fortes que o esperado na Ásia.

“A forte saída da China das medidas de isolamento fez a demanda em abril quase voltar aos níveis de um ano atrás. Nós também vimos uma forte retomada na Índia em maio, embora a demanda ainda esteja bem abaixo dos níveis de há um ano.”

“Se as mais recentes tendências na produção forem mantidas e a demanda se recuperar, o mercado estará em uma situação mais estável no final do segundo semestre”, disse a agência, em referência a cortes de oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados incluindo a Rússia.

“No entanto, não devemos subestimar as enormes incertezas”, acrescentou a IEA.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Bruno Andrade - 16/06/2020 - 14:07