Datagro projeta safra de soja da América do Sul em 194,52 mi de toneladas

29/04/2021 - 14:37
Soja
O novo levantamento trouxe avanço de 4% na área a ser colhida no Brasil (Imagem: Reuters/Gustavo Bonato/File Photo)

Levantamento da Consultoria Datagro sobre a safra 2020/21 de soja na América do Sul, embora inferior à estimativa passada, projeta colheita recorde para a região.

A área está estimada em 61,48 milhões de hectares, abaixo dos 61,69 mi de ha do levantamento anterior, mas 2% superior aos 60,19 mi de ha da temporada 2019/20, consolidando novo recorde histórico.

Levando em conta a área maior e rendimento geral ainda próximo da normalidade, a América do Sul pode apresentar uma produção de 194,52 milhões de toneladas, inferior ante a projeção anterior, que apontava para 196,94 mi de t, mas 1% superior aos 193,10 mi de t do recorde revisado da safra 2019/20.

O novo levantamento trouxe avanço de 4% na área a ser colhida no Brasil, subindo de 37,45 mi de ha para 38,96 mi de ha, com potencial para colher 136,34 mi de t, avanço de 6% sobre os 128,19 mi de t do recorde obtido na safra que passou.

A área plantada da Argentina está estimada em 17,10 mi de ha, abaixo dos 17,30 mi de ha da temporada anterior.

Em função do clima adverso, a área a ser colhida foi reduzida de 17,00 mi de ha para 16,50 mi de ha.

A colheita está projetada em 44,00 mi de t, perda de 11% sobre a safra passada.

No Paraguai, projeta-se área plantada de soja em 3,50 mi de ha, 4 % superior aos 3,35 mi de ha colhidos na temporada anterior, com produção de 9,00 mi de t, somando as safras de verão e inverno.

Na Bolívia, área estimada em 1,43 mi de ha, com potencial de produção de 2,90 mi de t, 10% acima da safra anterior; no Uruguai, área projetada em 1,10 mi de ha e produção em 2,20 mi de t.

Colheita de soja avança lentamente no Brasil e vai chegando ao final

Até o dia 23 de abril, segundo informações reportadas pela Datagro, o Brasil colheu 93,4% da área estimada, avanço de 2,1% sobre os 91,3% da semana anterior.

Na média de 5 anos, o avanço normal nesse período seria de 4,1%.

O fluxo segue abaixo dos 97,6% de 2020 e muito próximo dos 93,5% da média para os últimos 5 anos.

“A semana voltou a ser de clima predominantemente seco em boa parte da região produtora, favorecendo os trabalhos. Por outro lado, o clima mais seco vem afetando o desenvolvimento das lavouras do milho de inverno, avançando nas perdas de potencial produtivo”, diz Flávio Roberto de França Junior, coordenador de Grãos da Datagro.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado agro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Evelin Mendes - 29/04/2021 - 14:41

Pela Web