Carteira Recomendada

De Vale (VALE3) a Petrobras (PETR4): O que comprar em junho, segundo Ágora

30 maio 2024, 13:21 - atualizado em 30 maio 2024, 13:21
vivo desktop ações compra
Vivo entrou para carteira da Ágora Investimentos (Imagem: REUTERS/Nacho Doce)

A Ágora realizou uma troca em sua carteira recomendada de junho, com a saída da Embraer (EMBR3) para a entrada da Vivo (VIVT3). Segundo a corretora, após disparada de 66% ano, chegou a hora de realizar lucro.

No caso da Vivo, a corretora explica que a empresa é, atualmente, a preferência e principal escolha no setor de telecomunicações. Recentemente, a Ágora alterou a recomendação para compra, com preço-alvo ao final de 2024 de R$ 59/ação (antes em R$ 58).

“A Vivo tem demonstrado boa execução no segmento móvel. A empresa conseguiu capturar uma boa parcela das adições líquidas e aumentar o ARPU (receita média por usuário), apesar da sua posição já dominante nos segmentos premium”, explicam.

No primeiro trimestre, a Vivo registrou o maior crescimento de MSR (receita de serviços móveis) entre os três players no primeiro trimestre. “Esperamos que a forte execução continue”, completa.

Do lado dos investimentos, a Ágora também vê ganhos de eficiência que deverão compensar parcialmente os investimentos necessários para a migração.

Vale e Petrobras permanecem

Apesar das incertezas, a Ágora manteve Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) na carteira. Para a primeira, a corretora explica que após um início de 2024 desafiador, que resultou na alta das cotações, a disponibilidade de fornecimento de minério de ferro melhorou nas últimas semanas.

“Ainda assim, a China lançou recentemente medidas mais fortes para consertar o assolado mercado imobiliário do país – em um sinal de que o governo tenta finalmente encerrar a longa crise imobiliária que tem refreado sua economia há anos”, recorda.

Na visão da corretora, essa política tem poder de reaquecer o mercado por lá e, em consequência disso, manter os preços do minério de ferro em níveis elevados, em função da maior demanda por aço.

No caso da Petrobras, a corretora observa que ainda que estas dúvidas permaneçam com a saída de Magda Chambriard, a visão é de que as ações da Petrobras seguem com valuation descontado e, tudo mais constante, devem compor uma atrativa remuneração aos acionistas através da distribuição de elevados dividendos.

“Do ponto de vista dos resultados, os números financeiros da empresa vieram abaixo do esperado no 1T24, mas acreditamos que a dinâmica será saudável nos próximos trimestres, a medida que a empresa retoma a produção após paradas para manutenção e os preços do petróleo seguem em níveis elevados”, completa.

Veja o portfólio completo:

Empresa Ticker
Copel CPLE6
Itaú ITUB4
JBS JBSS3
Petrobras PETR4
Sabesp SBSP3
Suzano SUZB3
Vivo VIVT3
Usiminas USIM5
Vale VALE3
WEG WEGE3

 

Editor-assistente
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.