Empresas

Dividendos e JCPs: 4 empresas pagam meio bilhão de reais; veja como aproveitar

12 dez 2023, 20:24 - atualizado em 12 dez 2023, 20:24
Dividendos
O pagamento aos acionistas acontecerá em 13 de março de 2024. Os JCP declarados serão imputados aos dividendos obrigatórios, informou a empresa (Imagem: REUTERS/Bruno Domingos)

Pelo menos quatro empresas aprovaram o pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio nesta terça-feira (12) que, juntas, somam R$ 500 milhões. Veja a seguir.

Weg

Pagará R$ 301,8 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP), com base nas projeções das demonstrações financeiras a serem encerradas em 31 de dezembro de 2023.

Segundo a Weg, os JCP foram calculados após a dedução de cerca de 2,08 milhões de ações que se encontram em tesouraria, perfazendo o total de 4,19 milhões de ações.

Será levada em consideração a posição acionária de 15 de dezembro de 2023, sendo que as ações passarão a ser consideradas ex-JCP em 18 de dezembro de 2023.

O pagamento aos acionistas acontecerá em 13 de março de 2024. Os JCP declarados serão imputados aos dividendos obrigatórios, informou a empresa.

Multiplan

Aprovou o pagamento de R$ 175 milhões também em juros sobre o capital próprio. O pagamento por ação será de R$ 0,29900117547, a ser pago até 20 de dezembro.

As ações passaram a ser negociadas “ex juros” a partir de 27 de dezembro de 2022.

CSU Digital

Pagará R$ 7,4 milhões em juros sobre o capital próprio. O valor por ação será de R$ 0,179365828. A data de corte será em 18 de dezembro de 2023 e a data de pagamento em 28 de dezembro de 2023.

Melnick

Aprovou R$ 17,4 milhões em dividendos, equivalente a R$ 0,08622798746 por ação. As ações passarão a ser negociadas “ex-dividendos” a partir do dia 18 de dezembro de 2023 e pagos até o dia 27 de dezembro de 2023.

Editor-assistente
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin
Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, cobre mercados desde 2018. Ficou entre os 50 jornalistas +Admirados da Imprensa de Economia e Finanças das edições de 2022 e 2023. É editor-assistente do Money Times. Antes, atuou na assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho e como repórter do portal Suno Notícias, da Suno Research.
Linkedin