Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Dólar estica e puxa a R$ 5,10 após perdas fortes e foco em estímulos econômicos

04/06/2020 - 10:46
Dólar passa a subir no pregão desta quinta-feira (Imagem: Reuters/Guadalupe Pardo

O dólar operava com volatilidade ante o real nesta quinta-feira, depois de ter chegado a cair mais de 1% nos primeiros minutos de negociações, com os investidores ajustando suas posições e reagindo a anúncios de mais estímulo econômico na Zona do Euro.

Às 10:46 (horário de Brasília), o dólar (USDBRL) avançava 1,20%, a 5,1260 reais na venda. Na B3, o contrato mais líquido de dólar futuro ganhava 0,34%, a 5,0885 reais.

Nos primeiros minutos do pregão, o dólar spot caiu à minima intradia de 5,0254 reais na venda, perda de quase 1,2%, antes de recuperar terreno. Na máxima, a moeda norte-americana foi a 5,1415 reais, alta de 1,08%.

“Eu acho que está havendo uma realização”, disse à Reuters Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho.

“Hoje teve o BCE anunciando aumento no seu programa de compras de ativos, e tudo isso é bom para os mercados e favorece uma abertura positiva, mas temos que reconhecer também que os mercados andaram muito nos últimos dias. É natural que haja realização, ainda mais com bastante incerteza no horizonte, aqui e lá fora.”

Nesta quinta-feira, o Banco Central Europeu intensificou seu programa de estímulo para impulsionar a economia da zona do euro, aumentando o tamanho do seu Programa de Compra de Emergência Pandêmica em 600 bilhões de euros, para 1,35 trilhão de euros.

BCE Zona do Euro
BCE fornece estímulo à Zona do Euro (Imagem: Reuters/Ralph Orlowski)

Enquanto isso, nos Estados Unidos, dados mostraram que o número de norte-americanos que solicitaram auxílio-desemprego caiu abaixo de 2 milhões na semana passada pela primeira vez desde meados de março.

Apesar das notícias positivas, ativos arriscados — como as ações europeias e moedas de países emergentes — operavam em território negativo, após um forte rali esta semana.

No Brasil, as atenções seguem no noticiário político, de olho nos desdobramentos relacionados aos desentendimentos entre os poderes.

Na quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro sancionou lei que extingue o fundo de reservas monetárias, mas vetou a destinação desses recursos –estimados em mais de 8,6 bilhões de reais– para o combate ao coronavírus, surpreendendo deputados, segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Em meio a um cenário de incerteza política, crescimento fraco e juros em mínimas históricas, o dólar já acumula alta de cerca de 27% contra o real em 2020. Mesmo assim, já registrou várias perdas nas últimas semanas desde que ficou a poucos centavos de superar 6 reais em meados de maio.

Para analistas, o futuro da moeda ainda é incerto, e muitos descartam uma recuperação definitiva do real. Luciano Rostagno disse que acha “difícil ver o real sendo negociado abaixo do patamar de 5 reais por dólar por um período prolongado de tempo. No curto prazo ainda há muita incerteza, que deve impedir a moeda de cruzar esse nível de forma sustentável”.

Jair Bolsonaro
Em meio a um cenário de incerteza política, o dólar já acumula alta de cerca de 27% contra o real em 2020 (Imagem: Reuters/Ueslei Marcelino)

Na véspera, a moeda norte-americana à vista fechou em queda de 2,38%, a 5,0862 reais na venda.

O Banco Central ofertará nesta quinta-feira até 12 mil contratos de swap tradicional para rolagem com vencimento em setembro de 2020 e fevereiro de 2021.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Leia mais sobre: Câmbio, Dólar, Mercados, Moedas, Reuters

Última atualização por Lucas Simões - 04/06/2020 - 10:50