Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Dólar fecha em alta ante real por compras defensivas

23/10/2020 - 17:16
Dólar
Na semana, a cotação recuou 0,24% (Imagem: Pixabay)

O dólar fechou em alta contra o real nesta sexta-feira, com a moeda norte-americana tomando fôlego na parte da tarde conforme operadores assumiram posições mais defensivas antes do fim de semana, em sessão mista para divisas de risco no exterior.

O dólar à vista subiu 0,60%, a 5,6282 reais. Na semana, a cotação recuou 0,24%. A moeda ganha 0,17% em outubro e dispara 40,25% em 2020.

Na B3 (B3SA3), o dólar futuro avançava 0,46% nesta sexta, a 5,6205 reais, às 17h41.

O real teve o pior desempenho global nesta sessão, que careceu de direção comum para moedas pares da brasileira, como peso mexicano (+0,4%), lira turca (-0,4%), peso chileno (+0,4%) e peso colombiano (-0,15%).

Abrão Filho aumenta 135% sua receita em 2021

Os mercados brasileiros de forma geral tiveram desempenho mais fraco que seus pares, com o Ibovespa (IBOV) em queda de 0,65% e os juros futuros na B3  em disparada.

Analistas avaliam que o desconforto do lado fiscal mantém o humor dos agentes frágil, num momento em que o mercado continua temeroso sobre o risco de furo do teto de gastos em 2021.

O Ministério da Economia precisou divulgar nota de esclarecimento nesta sexta na qual afirmou que “não há movimento para reverter processo de contingenciamento e responsabilidade fiscal”, depois de reportagens nesta semana sobre brechas para contratação de mais de 50 mil servidores públicos em 2021.

Na semana que vem, investidores vão acompanhar a decisão de política monetária do Banco Central, com amplas expectativas de manutenção da taxa Selic na mínima recorde de 2% ao ano, em meio a algumas avaliações de que o juro baixo num contexto fiscal abalado tem pressionado a moeda e atrapalhado a rolagem da dívida pública.

“O maior sinal de um BC atrás da curva é dado como este de hoje: curva pré embutindo um belo prêmio de aumento de Selic já em 2021 ao mesmo tempo que é acompanhada de desvalorização da moeda”, comentou Vitor Péricles, economista e sócio-gestor da LAIC-HFM Gestão de Recursos.

O DI julho de 2021 que embute expectativas para a Selic de hoje até o fim do primeiro semestre do ano que vem saltou quase 10 pontos-base, indicando apostas de que o BC precisará subir os juros até lá.

Os vencimentos para janeiro 2022, janeiro 2023 e janeiro 2024 dispararam entre 20 pontos-base e 27 pontos-base apenas nesta sessão.

“Desde a última reunião (do Copom) as preocupações sobre o cenário fiscal cresceram, conforme vimos alguma falta de comprometimento com as contas públicas em tentativas de incluir um novo programa de transferência de renda sob o teto de gastos”, disse o JPMorgan em nota. “A incerteza fiscal deve tornar a política monetária mais cautelosa”, acrescentou o banco, que prevê manutenção em 2% da Selic e também do “forward guidance”.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Leia mais sobre: , , , , ,

Última atualização por André Luiz - 23/10/2020 - 18:12

Pela Web