Leia os avisos legais em avenue.us. Intermediação Coin DTVM

Dólar X coronavírus: o que pesará no reajuste de preços das siderúrgicas brasileiras?

Márcio Juliboni
18/03/2020 - 11:59
Usina siderúrgica em Hefei, China Siderurgia
Cenário incerto: Ágora não descarta possibilidade de coronavírus retardar reajuste de siderúrgicas (Imagem: REUTERS/Stringer)

Após aumentar os preços em 10% neste mês, as siderúrgicas brasileira preparam-se para uma nova rodada de reajustes em abril.

O problema, segundo a Ágora Investimentos, é o que prevalecerá no mês que vem: a pressão do câmbio, que incentiva a alta dos produtos siderúrgicos, ou a pandemia de coronavírus, que ameaça derrubar o consumo.

O reajuste planejado é de outros 10%. Os analistas Thiago Lofiego e José Cataldo, que assinam um breve comentário da Ágora sobre o assunto, observam que, em tese, há espaço para os aumentos.

Isto porque, com o dólar a R$ 5, os dois reajustes consecutivos de março e abril ainda levariam os aços laminados a quente (usados, por exemplo, em automóveis e eletrodomésticos) a serem negociados, no mercado interno, com um prêmio de 2,5% sobre os importados.

Historicamente, a média do prêmio é de 5% a 10%. “Estritamente, deste ponto de vista, as siderúrgicas domésticas seriam capazes de implementar aumentos de preços”, diz a dupla.

“No entanto, reconhecemos que as preocupações com a demanda doméstica por trás do spread do Covid-19 no Brasil podem atrasar a implementação”, acrescentam os analistas.

Última atualização por Márcio Juliboni - 18/03/2020 - 11:59

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Cotações Crypto
Pela Web