Comprar ou vender?

É hora de apostar nas companhias aéreas? Com balanços de Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4), veja o que analistas recomendam sobre o setor

28 mar 2024, 17:36 - atualizado em 28 mar 2024, 17:36
Azul, AZUL4, Gol, GOLL4, Aviões, Setor Aéreo, Empresas
Companhias aéreas divulgam seus balanços e encerram a temporada do 4T23 (Imagem: Getty Images/Canva)

A temporada de balanços está dando seus últimos suspiros nesta semana, e as aéreas foram o foco desta quinta-feira (28). A Azul (AZUL4) teve prejuízo líquido ajustado de R$ 270,6 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), enquanto a Gol (GOLL4) teve prejuízo líquido de R$ 1,1 bilhão no período.

Aéreas: O que dizem os analistas sobre a Azul (AZUL4)?

O valor registrado no período é 55,7% inferior ao reportado no mesmo trimestre do ano passado, de R$ 610,5 milhões.

No entanto, o Itaú BBA ainda vê o anúncio como positivo, visto que a receita líquida da Azul ficou ligeiramente acima do consenso.

Por outro lado, o crescimento acima do esperado em algumas linhas de despesas resultou em uma pequena perda de Ebitda”, ponderam os analistas Gabriel Rezende, Daniel Gasparete e Luiz Capistrano.

Os analistas do BTG Pactual esperam que os resultados continuem a melhorar, beneficiando-se da conclusão do plano de gestão de liquidez e passivos, menores pressões de custo de combustível e uma contínua recuperação de volume.

Outro tópico ponderado é o cenário competitivo mais favorável no mercado doméstico, visto que a Gol entrou voluntariamente com pedido de proteção pelo Chapter 11, o que “deve ajudar a Azul a ganhar participação de mercado e manter yields saudáveis”, afirmam Marcelo Arazi, Marcel Zambello, Fernanda Recchia e Lucas Marquiori, do BTG.

“Olhando adiante, esperamos que o mercado acompanhe os volumes e o desempenho dos yields, preços de combustível, volatilidade cambial e atualizações da frota. Permanecemos compradores da Azul, que combina um momento positivo de curto prazo com um valuation atrativo”, finalizam.

Os analistas Pedro Bruno, Bruno Vidal e Matheus Sant’anna, da XP Investimentos apontaram que houve uma combinação nos resultados do quarto trimestre de 2023 da Azul, sendo elas:

  • a recuperação na demanda da RPKs (Receita em Quilômetros por Passageiro), em +9% ano a ano;
  • uma melhora no ambiente de rentabilidade ano a ano (+4%); e
  • um aumento do fator de reutilização ano a ano (+1,9 ponto percentual).

Por outro lado, foi notada uma pressão maior vinda do CASK (Custo do Assento-Quilômetro disponível), o qual apresentou alta de 9% trimestre a trimestre, decorrente principalmente do aumento nos preços dos combustíveis. “Reiteramos nossa classificação Neutra”, afirmam.

E sobre a Gol (GOLL4)?

No período, a companhia aérea reverteu o lucro de R$ 230,9 milhões registrado no mesmo trimestre de 2022.

Para Marcelo Arazi, Marcel Zambello, Fernanda Recchia e Lucas Marquiori do BTG Pactual, a Gol apresentou resultados mais fortes trimestre a trimestre, com um crescimento melhor de receita e margens melhores — ajudados por uma sazonalidade mais favorável. Em contrapartida, apesar de uma melhoria trimestre a trimestre, a alavancagem permanece alta.

“Espera-se que o mercado acompanhe as atualizações sobre essa dinâmica, além de monitorar também a recuperação dos volumes e tarifas, preços de combustível, volatilidade cambial e atualizações da frota. Mantemos nossa recomendação de Venda devido à baixa visibilidade sobre o processo de Chapter 11”, afirmam os analistas.

Estagiária
Estudante de jornalismo na Universidade São Judas Tadeu, tem habilidades em edição de imagens e vídeos além da paixão pelo meio de comunicações. Estuda inglês e está em busca da fluência.
Estudante de jornalismo na Universidade São Judas Tadeu, tem habilidades em edição de imagens e vídeos além da paixão pelo meio de comunicações. Estuda inglês e está em busca da fluência.