Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Economista-chefe do Banco Central Europeu alerta para impactos de euro forte

11/09/2020 - 7:53
BCE Banco Central Europeu Europa
A inflação permanece muito aquém do objetivo do Banco Central Europeu (Imagem: Reuters/Ralph Orlowski)

O economista-chefe do Banco Central Europeu, Philip Lane, alertou que a valorização do euro neste ano amorteceu o cenário de inflação, em linguagem mais dura que a da presidente da instituição, Christine Lagarde, sinalizando que mais estímulos monetários podem ser necessários.

A inflação permanecerá negativa pelo resto do ano e as revisões de alta para o núcleo de preços por causa da recuperação econômica foram “significativamente silenciadas” pela taxa de câmbio mais forte, escreveu Lane em blog na sexta-feira.

“Deve ficar bem claro que não há espaço para complacência”, escreveu. “O Conselho do BCE está pronto para ajustar todos os seus instrumentos, conforme apropriado, para garantir que a inflação caminhe rumo à meta de forma sustentada.”

As declarações ocorrem um dia depois de Lagarde ter dito apenas que o impacto da taxa de câmbio sobre a inflação deve ser monitorado, o que levou economistas e investidores a questionarem se o BCE não considera os ganhos alarmantes.

O BCE diz repetidamente que não visa a taxa de câmbio, mas uma moeda mais forte pesa sobre os preços ao reduzir custos de importação. Também prejudica a produção, tornando as exportações menos competitivas.

O presidente do Banco da França, François Villeroy de Galhau, disse em discurso logo após Lane que a taxa de câmbio “importa para a inflação e para a política monetária” e será monitorada.

BCE Christine Lagarde Zona do Euro
A moeda única subiu mais de 10% desde março e ultrapassou US$ 1,20 na semana passada pela primeira vez em dois anos (Imagem: Reuters/Ralph Orlowski)

A moeda única subiu mais de 10% desde março e ultrapassou US$ 1,20 na semana passada pela primeira vez em dois anos.

A preocupação de Lane com a moeda não parece ser compartilhada por todos os membros do Conselho do BCE, que na quinta-feira concordou que não havia motivo para uma reação exagerada, de acordo com pessoas a par do assunto.

Vitas Vasiliauskas, membro do Conselho do BCE, disse na sexta-feira que a apreciação não é especialmente significativa. “Devíamos monitorar, mas historicamente não é tão excepcional”, disse a repórteres em Vilnius.

“Se o euro acelerar mais rápido, os argumentos a favor de aumentar o estímulo se tornarão ainda mais fortes”, disse Joerg Kraemer, economista-chefe do Commerzbank, cuja previsão é de que o programa de compra seja elevado na virada do ano.

Lane sinalizou que os próximos passos do BCE ainda não estão claros, observando a elevada incerteza e os riscos de queda para a recuperação econômica.

“A inflação permanece muito aquém do objetivo, e houve apenas progresso parcial no combate ao impacto negativo” da pandemia, escreveu. “Nos próximos meses, um conjunto mais rico de informações estará disponível, o que ajudará a informar a calibração da política monetária.”

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Lucas Simões - 11/09/2020 - 7:59