Eleições 2022

Eleições 2022: Precisa cadastrar a digital de novo para o 2º turno?

24 out 2022, 13:07 - atualizado em 24 out 2022, 13:07
Urnas eletrônicas votação primeiro turno eleições eleição 2022 digital
A Justiça Eleitoral tem o objetivo de colher a biometria de 100% do eleitorado até as eleições de 2026 (Imagem: TSE/ Abdias Pinheiro)

No primeiro turno das eleições os eleitores se depararam com longas filas e maior tempo de votação nas seções eleitorais. O motivo é que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estava aproveitando o momento para cadastrar a biometria dos que não fizeram isso antes. Mas para o segundo turno precisa cadastrar a digital novamente?

A resposta é não, pelo menos para esse pleito.

O TSE afirma que nenhuma eleitora ou eleitor que não realizou o cadastramento será proibido de votar. Já que, segundo o órgão, a ausência da biometria não impede, por si só, o exercício do voto.

Como o recolhimento dos dados biométricos foi interrompido durante a pandemia da Covid-19, os eleitores que ainda não estavam com os dados atualizados estão passando nessas eleições por esse procedimento no momento da votação.

Para isso, o TSE importou os dados de cadastro digital de eleitores em outras instituições oficiais, como o Denatran.

Apesar do recolhimento, o uso da biometria, para aqueles que fizeram o procedimento no primeiro turno, no dia dois de outubro, passa a valer a partir da próxima eleição, em 2024.

Assim, no segundo turno, que acontece no próximo 30 de outubro, os eleitores ainda precisam assinar o comprovante de votação.

No primeiro turno, foram registradas filas em diversas seções eleitorais, principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro, que reúnem o maior número de eleitores.

Os brasileiros chegam a esperar de 30 minutos a 1 hora para registrar seu voto. No Rio de Janeiro, alguns colégios chegaram a optar por limitar a entrada dos eleitores para esperar que as filas diminuam.

A biometria começou a ser utilizada em 2008, sendo que o ciclo do cadastramento biométrico obrigatório aconteceu em parte dos municípios entre 2017 e 2018.

A Justiça Eleitoral tem o objetivo de colher a biometria de 100% do eleitorado até as eleições de 2026.

Quem não lembra ou não sabe se tem a biometria cadastrada, pode conferir no site do TSE. Na verificação também consta se o título está regular.

Vale lembrar que a apresentação do título de eleitor não é obrigatória para votar, é preciso apenas que o eleitor saiba onde fica sua zona eleitoral e leve um documento de identificação oficial com foto.

Os documentos poderão ser usados mesmo se a data de validade estiver vencida. Não valem como prova de identidade as certidões de nascimento ou de casamento. São aceitos:

  • Carteira de identidade;
  • Identidade social;
  • Passaporte;
  • Carteira de categoria profissional reconhecida por lei;
  • Certificado de reservista;
  • Carteira de trabalho;
  • Carteira nacional de habilitação.

Além destas opções, também é possível votar apresentando o e-Título.

O aplicativo funciona como uma versão digital do título de eleitor. Ele permite que a pessoa visualize o número do documento de votação, justifique o voto e consulte as informações cadastradas na Justiça Eleitoral, entre outras opções.

Quem já teve a biometria coletada pela Justiça Eleitoral poderá utilizar as digitais como forma de identificação.

Prêmio Os + Admirados da Imprensa!

Money Times é finalista em duas categorias do Prêmio Os + Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças. O site concorre na categoria Canais Digitais e com o jornalista Renan Dantas na categoria Jornalistas Mais Admirados. Deixe seu voto aqui!

Estagiária
Formada em Gestão de Negócios e Inovação pela Fatec Sebrae e, atualmente, estudante de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero. Tem como propósito atuar visando os princípios éticos do jornalismo com comprometimento com a informação de qualidade e o combate à desinformação.
Linkedin
Formada em Gestão de Negócios e Inovação pela Fatec Sebrae e, atualmente, estudante de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero. Tem como propósito atuar visando os princípios éticos do jornalismo com comprometimento com a informação de qualidade e o combate à desinformação.
Linkedin