Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Empregados da Amazon poderão trabalhar em casa até junho de 2021

21/10/2020 - 7:02
Amazon
Funcionários de depósitos da Amazon continuam trabalhando nas instalações da empresa em todo o país, o que tem gerado preocupações sobre segurança e conflitos trabalhistas (Imagem: REUTERS/ Abhishek N. Chinnappa)

A Amazon.com (AMZN) permitirá que funcionários corporativos trabalhem de casa até junho de 2021. A gigante de comércio eletrônico aumenta a lista de empresas que adiam a reabertura de escritórios em meio ao aumento de casos de Covid-19 nos Estados Unidos.

“Continuamos a priorizar a saúde de nossos funcionários e seguir a diretriz do governo local”, disse uma porta-voz da Amazon por e-mail. “Funcionários que trabalham em uma função que pode efetivamente ser desempenhada em casa podem fazê-lo até 30 de junho de 2021.”

A empresa com sede em Seattle havia dito anteriormente que os funcionários poderiam trabalhar em casa até o início de 2021.

A incerteza em torno da reabertura de escolas e fechamentos repentinos relacionados a surtos de coronavírus complicaram a volta aos escritórios de pais de crianças em idade escolar.

O Google, controlado pela Alphabet, anunciou vários meses atrás que continuará a permitir o home office até julho de 2021.

Facebook, Twitter e Square estão entre as empresas de tecnologia que permitirão o trabalho remoto permanente para alguns membros da equipe, se assim desejarem.

A Amazon “investiu fundos e recursos significativos para garantir a segurança daqueles que optam por vir ao escritório por meio de distanciamento físico, intensa limpeza, medições de temperatura e fornecimento de máscaras e álcool gel”, disse a porta-voz.

Funcionários de depósitos da Amazon continuam trabalhando nas instalações da empresa em todo o país, o que tem gerado preocupações sobre segurança e conflitos trabalhistas.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Rafael Borges - 21/10/2020 - 7:02