Empresas

Empresa de Lemann encerra ação coletiva nos EUA após acordo bilionário

16 maio 2023, 17:50 - atualizado em 16 maio 2023, 17:50
Kraft Heinz
3G Capital está envolvida ainda em outro processo com a Kraft Heinz (Imagem: REUTERS/Andrew Kelly)

A 3G Capital, do trio Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcell Teles, e a gigante de alimentos, Kraft Heinz, fecharam acordo de U$ 450 milhões (R$ 2,2 bilhões) para encerrar ação coletiva nos Estados Unidos. A informação é da coluna Capital, do jornal O Globo.

O processo acusava a companhia e sua acionista de referência, a 3G, de informarem ao mercado dados que não correspondiam com a realidade financeira da Kraft Heinz, bem como não evidenciavam os impactos gerados pela implementação da estratégia de redução de custos após processo de fusão.

Em 2019, a SEC (Securities and Exchange Comission, órgão regulador do mercado de capitais nos EUA) acusou a companhia de ter erros contábeis.A empresa foi obrigada a corrigir e republicar os balanços, que mostraram uma baixa contábil de U$ 15,4 bilhões.

Iniciada por representantes de investidores que compraram ações da Kraft Heinz entre novembro de 2017 e agosto de 2019, a ação coletiva foi encerrada após o acordo.

Jorge Paulo Lemann, nome à frente da 3G Capital, não sofreu acusação neste processo, no entanto, está envolvido em outro.

Conforme noticiado pela coluna Capital, a investidora norte-americana, Adriana D. Felicetti, protocolou processo pelos problemas enfrentados pela Kraft Heinz em 2019. À época, erros no balanço geraram baixa contábil de US$ 15,4 bilhões.

Conforme a petição inicial do processo, protocolado em 6 de março deste ano, a qual a coluna teve acesso, a investidora Adriana D. Felicetti, acusa Lemann e a 3G Capital de terem falhado em seu dever fiduciário com a empresa e seus acionistas, além da prática de insider trading (uso indevido de informação privilegiada) para lucrar com os papéis da Kraft Heinz antes de os problemas contábeis virem a público.

Por meio da ação, Felicetti reivindica:

  • Reparação das perdas como acionista e para a empresa;
  • Ressarcimento da multa de US$ 62 milhões que a Kraft Heinz teve de pagar à SEC (Securities and Exchange Comission, órgão regulador do mercado de capitais nos EUA);
  • Ressarcimento dos US$ 250 milhões que ainda devem ser pagos para encerrar ação coletiva iniciada após o rombo;
  • Que a 3G Capital devolva os ganhos obtidos a partir do suposto insider trading.

3G Capital e a Kraft Heinz

Em 2013, a 3G Capital, investiu U$ 28 bilhões na aquisição da Kraft Heinz, empresa consolidada no setor alimentício. Posteriormente, Warren Buffet se juntou como sócio.

Contudo, em 2019, veio a acusação da SEC acerca dos erros contábeis. Os problemas estavam ligados à área de compras da companhia, acusada de esconder os custos reais com fornecedores e manter contratos falsos.

Em 2021, a SEC e a Kraft Heinz firmaram acordo, que demandou da companhia arcar com multa de US$ 62 milhões.

Os advogados de Felicetti apontaram na ação que Lemann e a 3G Capital não cumpriram com o papel de garantir que a companhia divulgasse informações precisas e não enganosas e, além de esconder a verdade, se apropriaram de informações não públicas em benefício próprio, vendendo grande quantidade de ações ao público que não tinha todas as informações por mais de US$ 1,2 bilhão.

Repórter
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin
Formada em jornalismo pela Universidade Nove de Julho. Foi redatora na área de marketing digital por 2 anos e ingressou no Money Times em 2022.
Linkedin