Empresas

Enel confirma investimento previsto no Brasil após fala de Lula sobre concessão

15 jun 2024, 15:43 - atualizado em 15 jun 2024, 15:43
Enel
No projeto que está na Casa Civil, está em jogo a prorrogação de 20 contratos que vencem a partir de 2025. (Imagem: REUTERS/Flavio Lo Scalzo)

A elétrica italiana Enel confirmou neste sábado o investimento previsto no Brasil de 3,7 bilhões de dólares de 2024 a 2026, após fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva condicionando a renovação da concessão aos aportes.

Após conferência do G7, na Itália, Lula citou em entrevista a jornalistas os problemas no fornecimento da Enel, que opera concessões em São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará.

“Eles assumiram o compromisso de, ao invés de investir 11 bilhões, eles vão investir 20 bilhões nos próximos três anos, prometendo que não haverá mais apagão em nenhum lugar que eles são responsáveis pela energia”, disse Lula.

O plano de investimento citado por Lula já havia sido anunciado pela empresa, que confirmou os valores neste sábado citando o montante de 3,7 bilhões de dólares.

A fala foi feita em momento em que o governo está para definir as diretrizes para a renovação de 20 contratos de distribuição de energia elétrica, incluindo a Enel, além de CPFL, Neoenergia, Equatorial e Energisa.

No projeto que está na Casa Civil, está em jogo a prorrogação de 20 contratos que vencem a partir de 2025, compreendendo 64% do mercado de distribuição de energia do país.

“Na semana que vem, o ministro de Minas e Energia (Alexandre Silveira) vai me levar uma proposta, e nós vamos então saber se vamos fazer ou não, para resolver esse problema energético, porque São Paulo é muito importante, a gente não pode permitir que a capital mais importante do Brasil fique sem energia”, afirmou o presidente.

Lula mencionou reunião com representantes da Enel.

“Nós estamos conversando com eles pra dizer que a gente está disposto a renovar o acordo se eles assumirem o compromisso de fazer investimentos.”

Nesta semana, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, multou a distribuidora de energia da Enel no Rio de Janeiro em 13,067 milhões de reais por interrupção dos serviços e demora no restabelecimento por parte da concessionária.

A distribuidora paulista da Enel também já foi multada em 165,8 milhões de reais pela agência reguladora Aneel por sua atuação diante do apagão em novembro do ano passado, que afetou milhões de consumidores da capital paulista e região metropolitana.

A distribuidora tem reafirmado seus compromissos com os consumidores, ressaltando os investimentos previstos.

Leia mais sobre:
Giro da Semana

Receba as principais notícias e recomendações de investimento diretamente no seu e-mail. Tudo 100% gratuito. Inscreva-se no botão abaixo:

*Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.