Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Estímulo nos EUA antes das eleições depende de prazo de Pelosi

19/10/2020 - 11:25
Nancy Pelosi
O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que está pronto para igualar os US$ 2,2 trilhões de nível de gastos exigido pelos democratas – ou mais -, apesar das repetidas advertências do líder da maioria no Senado, Mitch McConnel (Imagem: Nancy Pelosi/Facebook)

O destino de mais estímulos para a economia dos Estados Unidos antes das eleições em novembro será decidido nesta semana. A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, estabeleceu a terça-feira como prazo para chegar a um acordo com a Casa Branca, embora permaneçam dúvidas de que o Senado, controlado pelos republicanos, aceite qualquer pacto.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que está pronto para igualar os US$ 2,2 trilhões de nível de gastos exigido pelos democratas – ou mais -, apesar das repetidas advertências do líder da maioria no Senado, Mitch McConnel, de que a maior parte dos senadores do Partido Republicano deve se opor a qualquer pacote de alívio para o coronavírus desse porte.

“Eu quero um número maior do que ela quer”, disse Trump sobre Pelosi durante uma pausa da campanha no domingo em Reno, Nevada. “Isso não significa que todos os republicanos concordem comigo, mas acho que irão no final.”

Mas o valor do pacote não é o único obstáculo. Pelosi disse no domingo no programa “This Week”, da ABC, que os dois lados ainda discutem sobre um plano nacional para controlar o vírus.

As diferenças também permanecem em várias questões-chave, como a ajuda aos estados e demandas do Partido Republicano por uma proteção contra a responsabilização de empregadores, que têm criado um impasse para o acordo há meses.

O prazo de terça-feira “diz respeito apenas a se quisermos fazer isso antes das eleições, o que queremos”, disse Pelosi, indicando que as partes poderiam continuar a negociar a aprovação de uma medida de estímulo depois de 3 de novembro.

Enquanto Pelosi, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e suas equipes continuam com as negociações, McConnell avança com um plano de US$ 500 bilhões apenas dos republicanos que renovaria um programa de empréstimo para pequenas empresas e forneceria benefícios ampliados de desemprego, auxílio escolar e recursos para testes de coronavírus, entre outras disposições.

McConnell planeja votações na terça-feira de um projeto de lei autônomo para fornecer mais fundos ao Programa de Proteção à Folha de Pagamento e de outras medidas na quarta-feira. É quase certo que os democratas bloquearão o projeto.

Apesar do impasse e de dados recentes indicando que a recuperação econômica tem desacelerado, os mercados até agora não deram muita atenção à paralisação em Washington.

Influência de Trump

Com Trump atrás do candidato presidencial democrata Joe Biden nas pesquisas e, potencialmente, arrastando alguns candidatos republicanos, a capacidade do presidente de influenciar o Partido Republicano pode ser menor.

Mesmo se houver um avanço nesta semana, há uma janela muito estreita para superar a oposição republicana a qualquer plano de auxílio na faixa de US$ 2 trilhões e para obter um projeto de lei escrito e aprovado antes do dia da eleição.

Pelosi disse que não quer esperar até janeiro por uma lei que impulsione a ainda frágil economia dos EUA, mas isso pode significar a aprovação de um pacote menor na sessão de transição do Congresso entre a eleição e a posse.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 19/10/2020 - 11:25